BLOG DO VICENTE CIDADE

Este blog tem como objetivo falar sobre assuntos do cotidiano, como política, economia, comportamento, curiosidades, coisas do nosso dia-a-dia, sem grandes preocupações com a informação em si, mas na verdade apenas de expressar uma opinião sobre fatos que possam despertar meu interesse.

quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

Fla arrebenta. Dá-lhe Mengão !!

Em clássico eletrizante, Flamengo bate o Vasco no Engenhão


Em clássico eletrizante, Flamengo bate o Vasco no Engenhão


Por Pedro Henrique Torre, do Rio de Janeiro (RJ), para o ESPN.com.br
Veja os lances da partida
No número de torcedores, o clássico não foi dos milhões. Mas só mesmo nesse quesito. Jogadas rápidas, belos lances, gols em profusão, torcedores ansiosos na arquibancada. Quem não foi ao Engenhão na noite desta quinta-feira perdeu uma partida digna dos velhos confrontos entre os rivais. Em clássico eletrizante, o Flamengo bateu o Vasco por 4 a 2, assumiu a liderança do Grupo B da Taça Guanabara e fez a festa dos rubro-negros.

Gazeta Press
Hernane abriu o placar no clássico
Hernane marcou seu quarto gol no Campeonato Carioca
De início, nem mesmo parecia que o jogo teria contornos tão emocionantes. Talvez com receio de se expor tanto logo no primeiro clássico da temporada, as equipes se estudaram um pouco.

Mas Rafinha logo deu o sinal de que a noite seria sua. Pelo lado esquerdo, o camisa 11 rabiscava para lá e para cá a ponto de deixar até Dedé, zagueiro experiente, tonto. Em uma jogada do atacante rubro-negro aos 13 minutos, ele dribou dois marcadores e rolou para João Paulo. O lateral rolou par trás e Ibson, de frente para o gol, mandou por cima da trave.

Logo em seguida, o Vasco respondeu. Em bola lançada na área, Leonardo aproveitou a furada de Renato Santos, mas, na hora da conclusão, González travou. Torcidas inflamadas, provocações na arquibancada. Eram apenas 15 minutos do primeiro tempo e o Clássico dos Milhões fervia.

E esquentou ainda mais quando, em bela jogada de Ibson, Hernane aproveitou o rebote do goleiro Alessandro e tocou para o gol aos 24 minutos. Flamengo 1 a 0. Afoito, o Vasco partiu com tudo para buscar o empate, mas abriu a retaguarda. Muito bem organizado, o Flamengo se postou no 4-3-3 tramado por Dorival Júnior e ampliou em belíssima jogada. Ibson roubou a bola no meio, avançou e esticou Elias no lado direito. O cruzamento foi certeiro e a conclusão de Nixon, debaixo da trave, mais ainda ao colocar o peito na bola. 30 minutos e Flamengo 2 a 0. Nem deu tempo de respirar no Engenhão.

Gazeta Press
Pedro Ken marcou, mas não evitou a derrota vascaína
Pedro Ken marcou, mas não evitou a derrota vascaína
Na saída de bola, falta para o Vasco pelo lado direito do ataque. Bernardo cobrou com capricho e Pedro Ken, na pequena área, disparou um foguete de cabeça sem chances para Felipe. A torcida vascaína explodiu em alegria. O time estava de volta ao jogo.

Na base do contra-ataque, os times faziam pulsar a arquibancada do Engenhão. Talvez para poupar cardíacos, o intervalo chegou sem alterar o placar. Pouco sabiam os privilegiados que foram à partida que o segundo tempo prometia ainda mais.

Isto porque, com a vantagem, Dorival Júnior sacou Nixon e colocou CLéber Santana. O Flamengo voltou dos vestiários no 4-4-2. Enganou-se, porém, quem pensou na ideia de administrar a vantagem. Logos aos três minutos, Rafinha, endiabrado, limpou todos os adversários pelo lado esquerdo e tocou para a entrada a área. De primeira, Cléber Santana encheu o pé e marcou um golaço. 3 a 1 Flamengo. Engenhão em delírio.

Atônito, o Vasco até havia trocado o inexperessivo John Cley por Dakson. Mas o técnico Gaúcho percebeu que deveria mudar ainda mais. Sacou, então, Leonardo para a entrada de Tenório, O equatoriano deu um gás no ataque e, em cinco minutos, o time perdeu três chances claras de gol. Custou caro.

Gazeta Press
Dedé foi derrotado no dia em que completou 150 jogos pelo Vasco
Dedé foi derrotado no seu 150º jogo pelo Vasco
Isso porque aos 19 minutos, Rafinha, sempre ele, disparou pelo lado esquerdo rumo ao gol adversários e deixou os marcadores vascaínos na saudade. De leve, o camisa 11 tocou no lado esquerdo de Alessandro. Flamengo 4 a 1. Rafinha ovacionado. Vascaínos desesperados. Olé nas arquibancadas.

O Vasco se encheu de brio e foi para cima. Dakson, aos 31, acertou um chutaço no lado esquerdo de Felipe. Mas o golaço pouco adiantou. Por mais que tentasse, o time vascaíno, até então 100%, mostrou deficiências logo em seu primeiro clássico na temporada. Eder Luis, pela esquerda, jogou a bola nas mãos de Felipe. Bernardo tentou emendar uma patada, mas isolou. Era pouco. Aos 40 minutos, a torcida vascaína, decepcionada, deixou o estádio. Nem viu Abuda, de cabeça, acertar a trave. Os rubro-negros presentes festejaram. Ao menos em termos de espetáculo, Vasco e Flamengo fizeram valer o ingresso no primeiro Clássico dos Milhões em 2013.

FICHA TÉCNICA:
VASCO 2 X 4 FLAMENGO

Data: 31 de janeiro de 2013
Local: Engenhão, no Rio de Janeiro
Árbitro: Wagner do Nascimento
Assistentes: Luiz Antônio Muniz de Oliveira e Michael Correia
Cartões amarelos: Thomás, Hernane e Léo Moura (FLA)
Gols: Hernane (FLA), aos 24 minutos, Nixon (FLA), aos 30 minutos e Pedro Ken (VASCO), aos 32 minutos do primeiro tempo; Cléber Santana (FLA), aos 3 minutos, Rafinha (FLA) 19 minutos e Dakson (VAS) aos 31 minutos do segundo tempo.
Renda e público: R$ 403.545,00 / 12.423 pagantes

VASCO: Alessandro; Abuda, Dedé, André Ribeiro e Wendel; Fillipe Soutto, Pedro Ken, Jhon Cley (Dakson) e Bernardo; Éder Luís e Leonardo (Tenório).
Técnico: Gaúcho.

FLAMENGO: Felipe; Léo Moura, Renato Santos, González e João Paulo; Cáceres, Ibson (Renato) e Elias; Nixon (Cléber Santana), Hernane e Rafinha (Thomás).
Técnico: Dorival Júnior.

Morre deputado que articulou a aprovação da emenda da reeleição de FHC

Morre Luiz Carlos Santos, articulador da emenda da reeleição de FHC - Fernando Rodrigues

Leia um pequeno trecho da descrição da biografia do morto feita na matéria:

No Ministério de Assuntos Políticos, Luiz Carlos deu o nó na principal fumaça à sua frente: foi um dos principais articuladores da aprovação da emenda constitucional que deu a FHC o direito de disputar a reeleição. O gabinete ocupado por Luiz Carlos centralizava todas as demandas de deputados e senadores que prometiam votar a favor do projeto político de interesse do governo.
Quando surgiu o escândalo da compra de votos para aprovar a emenda, em maio de 1997, Luiz Carlos soube como manobrar politicamente para abafar o caso. O Palácio do Planalto conseguiu conter o ímpeto da oposição e uma CPI nunca foi instalada.

Meu Deus, quanta lorota !! É muita cara de pau desse (des)governo.


Governo do Pará entrega 164 casas e 1.248 apartamentos em Castanhal
Da Redação
Agência Pará de Notícias


O residencial Jardim dos Ipês teve seu projeto elaborado pela Cohab e será inaugurado nesta sexta-feira

Além dos 1.248 apartamentos, o empreendimento também reúne 164 casas e toda a infraestrutura de urbanização da área

O governador do Estado, Simão Jatene, entrega, nesta sexta-feira, 1º de fevereiro, em Castanhal, o residencial Jardim dos Ipês, construído em parceria com o governo federal, por meio do programa "Minha Casa, Minha Vida". A inauguração do empreendimento contará com a presença da presidente da República, Dilma Roussef. O governador vai recepcionar a presidente na Base Aérea de Belém, por volta de 9 horas da manhã, e deverá acompanhá-la, de helicóptero, até Castanhal. A cerimônia de inauguração está prevista para iniciar às 10 horas.

O residencial Jardim dos Ipês teve seu projeto elaborado pela Companhia de Habitação do Pará (Cohab) e está constituído de quatro residenciais: Jardim dos Ipês Amarelos, Jardim dos Ipês Roxos, Jardim dos Ipês Brancos e Jardim dos Ipês Rosa. A Cohab foi responsável pela execução de infraestrutura interna, composta por sistema viário, sistema de abastecimento de água, rede de drenagem de águas pluviais, esgotamento sanitário e rede de distribuição de energia elétrica e iluminação pública, além da construção de 1.412 unidades habitacionais, sendo 164 casas e 1248 apartamentos.

As casas possuem área de 35 metros quadrados e os apartamentos 43 m². Ambos são compostos de sala, cozinha, dois quartos e banheiro. O sistema de abastecimento de água foi dimensionado para atender também o residencial Jardim dos Tangarás, inaugurado no ano de 2012, localizado em área contígua, contemplando mais 496 famílias, perfazendo um total de 1.908 famílias beneficiadas.

Com o advento do programa "Minha Casa, Minha Vida 1", o terreno, com a Estação de Tratamento de Água já construída, foi alienado para a Caixa Econômica Federal, que adquiriu a área com recursos do Fundo de Arrendamento Residencial, para a construção das 1.412 unidades habitacionais. O investimento do Governo do Estado no programa, excluindo-se os valores pagos pelo terreno, foi da ordem de R$ 1.879.320,39, referente a Estação de Tratamento de Água e o asfaltamento da via de acesso e da primeira rua frontal ao empreendimento.

Residencial Jardim dos Ipês Amarelos:
- Nº de Unidades Habitacionais: 332 (76 casas e 256 aptos)
Residencial Parque dos Ipês Roxos:
- Nº de Unidades: 360 aptos
Residencial Parque dos Ipês Brancos:
- Nº de Unidades: 376 apartamentos

Residencial Parque dos Ipês Rosa:
- Nº de Unidades: 344, sendo 256 apartamentos e 88 casas

Do UOL - Desemprego em 2012 fica em 5,5% e é o menor em dez anos, diz IBGE

O Brasil registrou, em 2012, uma taxa de desemprego de 5,5%, a menor desde o início da série histórica, em 2002. Os dados foram divulgados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) nesta quinta-feira (31). Em 2011, o desemprego havia fechado em 6%.

Em dezembro, a taxa de desemprego bateu novo recorde de baixa para o mês: 4,6%. É o menor valor desde o início da série histórica do IBGE, em 2002. O antigo recorde era de dezembro de 2011, quando o indicador ficou em 4,7%.

O baixo desemprego --garantido, principalmente, pelo setor de serviços-- sustentou a demanda dos consumidores e ajudou a evitar uma recessão no ano passado. A renda em alta também ajudou neste quadro.

Emprego segurou a economia

Por outro lado, 2012 foi também o pior ano em termos de criação de empregos com carteira assinada desde 2009, conforme dados anteriores do Ministério do Trabalho. Essa taxa foi influenciada pelo mau desempenho da economia, que deve ter crescido menos de 1% em 2012, de acordo com economistas.

Analisadas em conjunto, as duas pesquisas sugerem que a geração de emprego, ainda que mais lenta, continua suficiente para absorver os trabalhadores que chegam ao mercado. De novembro de 2011 a novembro de 2012, a população economicamente ativa cresceu em 591 mil pessoas segundo o IBGE, enquanto a população ocupada aumentou em 633 mil pessoas.

Para 2013, o Ministério do Trabalho espera a criação de 2 milhões de novos postos de trabalho.

Economistas observam, no entanto, que os estudos do IBGE e do Ministério do Trabalho adotam diferentes metodologias. A taxa de desemprego é coletada em apenas seis regiões metropolitanas e considera a ocupação formal e informal. Já o Ministério do Trabalho pesquisa todo o país, mas apenas o emprego formal.

"Apesar do crescimento mais fraco no emprego formal, o emprego informal continua bem, mantendo a taxa de desemprego em um nível baixo", afirmaram economistas do Morgan Stanley.
Outra pesquisa aponta desemprego maior

Pesquisa do Dieese divulgada na quarta-feira (30) mostra que a taxa de desemprego registrou leve queda pelo quarto mês consecutivo, passando de 10% em novembro para 9,8% em dezembro. Segundo o Dieese, o país fechou 2012 com um desemprego de 10,5%, registrando uma leve alta ante o índice de 10,4% em 2011.

O Dieese costuma apresentar números diferentes do IBGE devido à diferença de metodologia entre as duas pesquisas. A principal delas é que o IBGE mede apenas o desemprego aberto, ou seja, quem procurou emprego nos 30 dias anteriores à pesquisa e não exerceu nenhum tipo de trabalho --remunerado ou não-- nos últimos sete dias.

Quem não procurou emprego ou fez algum bico na semana anterior à pesquisa não conta como desempregado para o IBGE.

O Seade/Dieese também considera o desemprego oculto pelo trabalho precário (pessoas que realizaram algum tipo de atividade nos 30 dias anteriores à pesquisa e buscaram emprego nos últimos 12 meses) e o desemprego oculto pelo desalento (quem não trabalhou nem procurou trabalho nos últimos 30 dias, mas tentou nos últimos 12 meses).

E então PIG, é ou não uma herança bendita ?!?!?!?!


No governo Dilma, renda cresce duas vezes mais rápido do que na era Lula 
 

A presidente Dilma Rousseff e o ex-presidente Lula
Está aí um dado que ajuda a explicar por que apopularidade da presidente Dilma Rousseff continua alta. Em meio à piora de importantes indicadores econômicos (desaceleração do Produto Interno Bruto, recuo da indústria, diminuição dos investimentos), ao menos dois – talvez os que mais influenciem a decisão do eleitor – continuam com desempenho positivo, pelo menos por enquanto: a renda e o emprego.
Nos dois primeiros anos do governo Dilma, a renda média das pessoas ocupadas teve um aumento real de 2,9% ao ano, mais que o dobro do verificado na era Lula (1,3% ao ano), de acordo com dados do IBGE, compilados por Achados Econômicos. No total, a alta foi de 10,9% ao longo dos oito anos de Lula e de 5,8% nos dois primeiros de Dilma.
Somente em 2012, o ano do “pibinho”, em que o PIB cresceu 1% ou menos segundoestimativas, o rendimento médio do brasileiro subiu 3,2% acima da inflação. Não foi das maiores altas da última década, mas está acima da média.

Investimentos
É claro que a renda da população não é consequência unicamente de decisões de um presidente. E é claro, também, que muitos dos efeitos das medidas dos governos no mercado de trabalho não são imediatos. Mas é igualmente verdadeiro que muitos eleitores tendem a aprovar mais o governo de plantão (ou desaprovar menos) quando estão com mais dinheiro no bolso, e a criticar mais quando estão com menos.
Uma questão que permanece agora é se o atual quadro do mercado de trabalho, com baixo desemprego e renda em ascensão, é sustentável. A resposta deve vir nas próximas estatísticas sobre os investimentos das empresas. Os números indicarão se os empresários estão dispostos a colocar mais dinheiro na produção. No terceiro trimestre do ano passado, o que ocorreu foi o inverso, uma queda nos investimentos.

A trajetória de Dilma em imagens

Foto 47 de 55 - 21.set.2011- Dilma Rousseff abre a Assembleia Geral da ONU. Em seu discurso, a presidente defendeu a entrada da Palestina como membro efetivo da ONU Mais Shannon Stapleton/ Reuters

Blog da Ana Júlia: Dilma inaugura obra nossa em Castanhal

Blog da Ana Júlia: Dilma inaugura obra nossa em Castanhal

Amanhã a presidente Dilma Rousseff estará na cidade de Castanhal para realizar a entrega de 1.412 de casas do programa Minha Casa, Minha Vida. O Jardim dos Ipês é mais um dos residenciais construídos na cidade no meu governo, destinado á população de renda até 3 salários mínimos.

Tive a alegria de inaugurar, ainda durante o meu mandato, o conjunto habitacional Maria Bibiana Rodrigues, com toda infraestrutura, para 262 famílias. O residencial Jardim dos Tangarás, outro investimento de meu governo, foi entregue em fevereiro de 2012 para 496 famílias. No total, Castanhal recebeu mais de 78 milhões de reais de investimento em infra estrutura para melhorar a qualidade de vida das pessoas.
Em quatro anos, investimos mais de R$ 670 milhões na construção e melhoria de 17.290 moradias em todas as regiões do Estado. Santarém, Marabá, Castanhal e Região Metropolitana de Belém abrigam 73 empreendimentos, que incluem melhorias habitacionais e construção de habitações, saneamento integrado com implantação e ampliação de redes de água, captação, produção e tratamento de água, implantação de redes e tratamento de esgoto, pavimentação e calçamento de ruas, construção de equipamentos comunitários e regularização fundiária, afora as obras do Credicasa, Minha Casa, Minha Vida e do Fundo de Habitação de Interesse Social.

Estarei presente a esta inauguração ao lado de minha amiga, presidenta Dilma, e juntas poderemos abraçar nossos amigos, os moradores de Castanhal. Nosso compromisso está sendo cumprido.

quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

Partido dos Trabalhadores - Míriam Belchior: Pela primeira vez, Brasil está dividindo o bolo

Partido dos Trabalhadores - Míriam Belchior: Pela primeira vez, Brasil está dividindo o bolo

Ministra Míriam Belchior durante apresentação no Encontro Nacional com Novos Prefeitos e Prefeitas (Foto: Ilkens Souza)


Ministra do Planejamento destaca a variação do Produto Interno Bruto per capita, que passou de R$ 16,5 mil a R$ 21,3 mil entre 2001 e 2011.

Pela primeira vez na história, o Brasil cresce reduzindo as desigualdades, disse nesta terça-feira (29) a ministra do Planejamento, Orçamento e Gestão, Miriam Belchior. “Pela primeira vez, a gente divide o bolo ao mesmo tempo em que está crescendo. A América Latina está fazendo esse movimento e tem sido olhada por todos os lugares do mundo”, declarou Miriam Belchior, ao falar sobre a conjuntura econômica do país durante o Encontro Nacional com Novos Prefeitos e Prefeitas, realizado até nesta quarta-feira (30) em Brasília.

Para ilustrar que houve redução da desigualdade ao lado do crescimento econômico, a ministra fez uma apresentação destacando a variação do Produto Interno Bruto (PIB, soma das riquezas do país) per capita, que passou de R$ 16,5 mil a R$ 21,3 mil entre 2001 e 2011. Belchior fez um paralelo com a evolução no mesmo período do Índice de Gini, que caiu de 0,553 para 0,500. O Índice de Gini é um instrumento para medir o grau de concentração de renda e quanto mais próximo de 1 maior a concentração. Por isso, quanto mais reduzido o indicador, mais favorável o cenário. Os dados apresentados pela ministra são do Instituto Brasileiro de Geografia Estatística (IBGE).

Miriam Belchior disse que o Brasil vivencia os resultados de uma política econômica que “deixou de ser pensada apenas para combater a crise”. A ministra destacou como medidas estruturais a redução da taxa de juros e as iniciativas para garantir infraestrutura como Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e o Programa de Investimento em Logística (PIL), de concessão e construção de rodovias, ferrovias, portos e aeroportos por meio de parcerias com o setor privado.

A ministra destacou que o país está sustentando um consumo doméstico em ascensão, mas que o crescimento não pode se basear apenas no aumento das compras. “É fundamental que o investimento também cresça. O governo tem dado esse sinal para o setor privado. O setor público vai na frente e é indispensável que o setor privado também se engaje”, defendeu.

De acordo com Miriam Belchior, a taxa de investimento do setor público cresceu 51% com o PAC. Em 2012, os investimentos da União representaram 1% do total feito no país contra 0,2% em 2003 e 0,6% em 2007.

Ela disse ainda que o PAC é importante porque garante a previsibilidade dos investimentos. “[O PAC] faz com que todos os atores envolvidos se planejem com antecedência. Se há expectativa de que vai ter recursos do governo federal, as prefeituras se organizam”. Em sua primeira edição, o PAC destinou R$ 657,4 bilhões em recursos dos quais 94,1% foram executados. Na segunda etapa do PAC 2 há previsão de liberação de R$ 955,1 bilhões até 2014, dos quais 40,4% foram executados até setembro do ano passado.

(Agência Brasil)

Humor: PSDB processa Obama, Michelle anda fazendo propaganda para o PT | Maria Frô

Humor: PSDB processa Obama, Michelle anda fazendo propaganda para o PT | Maria Frô


Humor: PSDB processa Obama, Michelle anda fazendo propaganda para o PT

janeiro 30th, 2013 by mariafro

FaloPorqueTenhoBoca: Dilma em Marabá? Tomara...

FaloPorqueTenhoBoca: Dilma em Marabá? Tomara...:

Por ocasião da ida da presidente da República, Dilma Roussef, a Castanhal na próxima sexta-feira (01), a ex-governadora do Pará, Ana Júlia Carepa, fez uma saudação à companheira de partido no facebook, dando os créditos de sua fonte, o deputado federal Cláudio Puty (PT):

BEM-VINDA AO PARÁ DILMA ROUSSEF!!
Sexta-feira dia 01/02/2013 a nossa Presidenta Dilma Roussef estará no Pará, em Castanhal, entregando mais de 1.400 casas do Minha Casa Minha Vida. Obra iniciada, e feita a sua maior parte, no nosso Governop. Informação dos companheiros Cláudio Puty, que é Vice-líder do Governo Dilma, Paulo Rocha, e amigo de Castanhal João Sampaio.

E aproveitando a deixa, o deputado paraense mostrou-se logo muito bem informado ao anunciar, no próprio post da ex-governadora, o possível novo destino de Dilma no Pará:

Cláudio Puty: E mais, Ana Júlia Carepa, há o compromisso de que a próxima visita, em abril, seja em Marabá, para lançar a Unifesspa, reafirmar o compromisso da Alpa e entregar 2500 casas do Minha Casa Minha Vida.

Se essa agenda presidencial se confirmar, acho bom o governador Jatene aproveitar o bonde pra tomar o Semancol e dar a devida atenção a essa cidade tão importante no Sudeste do estado.

Marabá vai ressurgindo das cinzas: Município pagou este mês mais de R$ 27 milhões a servidores

















No primeiro mês da gestão de João Salame, completado nesta quinta-feira, o município já repassou aos servidores mais de R$ 27 milhões.

Revelação foi do próprio prefeito em mais uma reunião com a Comissão Permanente de Negociação.

Durante encontro, ocorrido no final desta tarde, 30, foram detalhados os avanços obtidos na sua gestão, até agora, para sanar a situação dos servidores, que ficaram com várias pendências deixadas pelo governo passado.

Entre os problemas já resolvido: pagamento do salário atrasado de novembro e duas parcelas do Visa Vale, também atrasadas, além da folha de janeiro.

Ficou definido como encaminhamento, após ampla discussão, que será revisto caso a caso o pagamento de gratificação (GTI) à quem tem jornada dupla, principalmente agentes de portarias e serviços gerais; iniciar a discussão para a eleição de diretores de escolas; rever a situação de professores que estão lotados na Biblioteca Pública e Casa do Professor com jornada de 200 horas/aula; e já começar a organizar a realização de um novo concurso para provimento de vagas, principalmente para compor o quadro de agentes de portaria e merendeiras.

Também foi colocado pelo prefeito que o pagamento do mês de dezembro para os professores vai depender do recurso suplementar do Fundeb, previsto para entrar na conta da prefeitura agora no final de janeiro ou início de fevereiro.

A folha soma R$ 7,760 milhões.

Em relação às demais secretarias, que somam R$ 9,7 milhões, o gestor diz que uma das possibilidades, dependendo do quando puder economizar, dentro da política de austeridade que vem adotando, é pagar os concursado, cuja folha é de R$ 4.759 milhões, e jogar os comissionados e contratados, que foram demitidos, com folha de R$ 4,2 milhões, para março.

“Essa é uma das possibilidades. A outra é parcelar esse pagamento. Vamos ver. Tudo depende do recurso que entrar. Eu quero resolver isso o mais rápido possível”, sustenta Salame.

Segundo o prefeito, esse quadro só pode ser melhor visualizado depois do dia 15 de fevereiro, quando já é possível ter uma ideia da arrecadação do município. Ele observa que, mesmo contendo gastos, a máquina da prefeitura voltou a funcionar e isso gera altos custos. “A limpeza, a saúde e outras áreas essenciais, não podem parar”.

Ficou agendada para o dia 18 de fevereiro uma nova reunião, já para dar novos encaminhamentos.

Agendou-se, também, para esta quinta-feira, 31, as 17 horas, uma reunião já para iniciar a discussão sobre a eleição dos diretores de escolas.

A Mesa de Negociação é composta pelos sindicatos dos Servidores da Saúde (Sintesp), Educação (Sintepp) e Servidores do Município (Servimmar), além de representantes do governo.

Blog do Bordalo: O Pará parou! Durante o Governo Jatene, Pará perde...

O Pará parou! Durante o Governo Jatene, Pará perde 11 mil empregos. Violência segue desenfreada e Governo Jatene caça chifre em cabeça de cavalo, ao invés de trabalhar!

O Pará parou: queda de 11 mil postos de trabalho em dezembro confirma desaceleração da economia paraense! Ontem, em reunião de secretários no CIG, meu amigo Roberto Sena(DIEESE) apresentou os números. A tropa tucana anda cabisbaixa.

Diante do quadro de paralisia, obras travadas e emprego em queda, o Governo Jatene vai questionar o Ministério do Trabalho sobre a perda de 11 mil postos de trabalhos. Não é a perda de 1 ou 2 empregos e sim, de 11 mil!!

Na minha opinião, o Governo Jatene devia destravar os investimentos, trancar a boca do destrambelhado Secretário de Energia e trabalhar! Trabalho, vontade política, ações efetivas.

E é só a perda de postos de trabalho. A violência na região metropolitana nunca esteve tão fora de controle, evidenciando o total fracasso da segurança púbica. Em 24 horas, 9 execuções.

O que fará o governo Jatene, além de ficar caçando chifre em cabeça de cavalo?

Perdeu Lorota. Presidenta Dilma vem pessoalmente inaugurar obra do governo federal !!



Desta vez não vai ter nada para o Lorota, ele não vai "surrupiar" o mérito do governo federal já que a própria presidenta Dilma virá ao Pará para prestar contas de suas ações no estado.

Vocês se lembram, Jatene fez a maior propaganda na inauguração de 500 casas do programa do governo federal Minha Casa Minha Vida, conseguido pela governadora Ana Júlia e mais recente fez festa para entregar os ônibus escolares também do governo federal.

Por conta dessa cara de pau sem tamanho, não deu outra: Dilma veio pessoalmente acabar com a festa dessa tucanalha pilantra, "estelionatários do mérito alheio".  

Vejam o que escreveu o Zé Carlos em seu blog:

Castanhal receberá Dilma Rousseff na sexta-feira

A presidente Dilma Rousseff, o PT e o PMDB devem fazer uma enorme festa, na sexta-feira, em Castanhal, para entregar 1400 casa do programa "Minha casa, minha vida". Com essa entrega, o programa comemora quase duas mil casas construídas só em Castanhal. Jatene, Titan, Jader e Ana Júlia podem estar presente no mesmo palanque.

Em 13 de fevereiro de 2012, ao lado do prefeito Hélio Leite e de seu candidato Márcio Miranda, Jatene entregou 496 casas do programa, mas não chamou ninguém do governo federal e nem do PT, afinal era campanha e em campanha o importante é ganhar: "Governador Simão Jatene entrega residencial para 496 famílias em Castanhal".

Agora, nesta visita da presidente a Castanhal, Jatene não pode fugir, seu governo precisa desesperadamente de verbas federais para continuar existindo. Todos os grandes investimentos feitos aqui no Pará tem o selo do Governo Dilma. Até os ônibus escolares que foram entregues para as prefeituras no início do ano, outra vez com muita festa, foram pagos com dinheiro federal de emendas parlamentares.

O Governo do Estado só não está pior em termos financeira por causa da atuação do vice-governador Helenilson Pontes, responsável pela única entrada de dinheiro novo nos cofres estaduais. Helenilson foi o construtor da lei das taxas minerais que obrigou a Vale do Rio Doce deixar aqui um pouquinho do seu lucro.

Novamente Helenilson Pontes será importante para o Governo do Estado. Na debate sobre o FPE (Fundo de Participação dos Estados), apoiará tecnicamente a bancada paraense. O vice-governador estará liderando o grupo de trabalho criado para este fim. Helenilson tem formação técnica indispensável para o debate.

Aconselho o Vice-governador não desprezar a ajuda do deputado Cláudio Puty. Puty é doutor em economia (Economia, Universidade Federal do Pará, 1988-1994; Mestrado em Economia, University of Tsukuba, Tsukuba, Japão, 1997-1999; Ph.D. em Economia, New School for Social Research, Nova York, EUA, 1999-2005), e por causa do seu poderoso currículo (motivo de grande inveja acadêmica) o Deputado é muito influente na área de orçamento e planejamento do Governo Federal.

Na visita da Presidente Dilma ao Pará, peço que o Governo do Estado não haja com ingratidão e receba a Presidente com as honras de "chefe de estado", aproveitando para pedir mais um pouquinho. Deixo aqui uma sugestão de pauta:

1. Navegabilidade do rio Tocantins;
2. Um programa de desenvolvimento para o Marajó, com a criação da Universidade Federal do Marajó;
3. Apoio do programa pró-catador para acabar com os lixões no Pará, atendendo o catador;
4. Solução definitiva para o abastecimento de água em Santarém;
5. A presença da força federal para combater as altas taxas de criminalidade da região metropolitana;
6. Mais investimento em saúde básica para os municípios paraenses;
7. Mudança na Lei Kandir e melhor compensação ao Pará como estado produtor;
8. Garantia de que o Pará será ouvido no processo de licenciamento das novas hidrelétricas;
9. Conclusão do asfaltamento das rodovias Transamazônica e Santarém-Cuiabá;
10. Reforço na estrutura do ICMBio para que possa fiscalizar e implantar as Resex e demais recursos naturais protegidos;
11. Prosseguimento do programa federal de acesso a informatica, com a volta do programa Navegapará;
12. Apoio aos centros de tecnologia;
13. Apoio a definitiva verticalização da nossa produção mineral.

Tem outros pontos, pelo menos mais 30 para chegar ao 43, número do Partido Verde, mas para no 13 em homenagem ao Partido dos Trabalhadores, sigla da presidente Dilma, uma das mais bem avaliadas da nossa história presidencial.

Blog Franssinete Florenzano - Belém - Pará

Blog Franssinete Florenzano - Belém - Pará - Superlotação em sala de aula

Através da Portaria 002/2013, a Seduc estabeleceu o número mínimo de 40 alunos para a formação de turmas de ensino médio no ano letivo de 2013. Mas a maioria das escolas não dispõe da infraestrutura necessária para acomodar esse contingente, especialmente por falta de espaço e climatização.

E mais: o Senado aprovou, no final do ano passado, lei estabelecendo que as turmas de pré-escola e dos dois anos iniciais do ensino fundamental deverão conter no máximo 25 alunos e as turmas dos anos seguintes do ensino fundamental e turmas do ensino médio serão compostas por até 35 alunos. O objetivo é buscar melhores condições para as crianças brasileiras, posto que a relação entre professor e número de alunos incide diretamente sobre a capacidade de aprendizagem.

Ainda dá tempo de o secretário de Educação rever o caso a fim de o Pará não trafegar na contramão da História.

PSDB e mídia vinculam aumento da gasolina a energia mais barata | Blog da Cidadania



Os principais jornais de quarta-feira (30) amanheceram com destaque principal de primeira página para o primeiro aumento de gasolina da Petrobrás para as refinarias desde 2005, há mais de sete anos. Em média, o aumento deverá ser de 6,6% nos produtores.

Todavia, como a gasolina é misturada com 20% de álcool, o reajuste aos consumidores deverá ser de míseros 4% nas bombas.

Dias antes do aumento, o PSDB passou a inundar redes sociais na internet com a versão de que o governo estaria dando com uma mão ao consumidor e tirando com outra, vendendo a história de que o aumento da gasolina anularia o da energia elétrica.

Além disso, o partido de oposição vem alardeando que o suposto “escambo” governamental teria a intenção de anular, nos índices de inflação, o peso do aumento da gasolina.

Os jornais desta quarta-feira compraram integralmente a versão tucana e deram a ela um destaque grandiloqüente em suas primeiras páginas. Nos telejornais será a mesma coisa: tentarão vender ao público que ninguém ganhou nada com a redução da conta de luz.

Detalhe: fracassado o alarmismo sobre racionamento, apagão etc., a direita midiática teve essa idéia de “jênio” (By PHA).

Trata-se de uma falácia. Estudo do Sindicato Nacional da Indústria de Componentes para Veículos Automotores (Sindipeças) mostra que a frota brasileira de veículos automotores tem 32,9 milhões de automóveis e comerciais leves, 1,54 milhão de caminhões, 354 mil ônibus e 11,674 milhões de motocicletas. Com isso, relação de veículos por habitantes no país é de 1 para 4. Ou seja: só um quarto dos brasileiros tem algum veículo.

Não é preciso ser muito esperto para notar que é uma empulhação dizer que 4% de aumento no preço dos combustíveis anulará média de 20% de desconto nas contas de luz (18% para residências e 32% para empresas), pois 98% dos brasileiros têm energia elétrica em casa e só ¼ tem veículos.

O peso da redução no preço da energia elétrica, portanto, é muito maior do que o aumento irrisório no preço dos combustíveis. E isso sem falar que, de 2005 para cá, todos passaram a ganhar salários muito maiores enquanto que os combustíveis não subiram.

Até mesmo em termos de politicagem a estratégia da mídia e do PSDB para desgastar o governo Dilma é inepta. É óbvio que não são 25% dos brasileiros que têm carro ou qualquer outro veículo. Neste país de renda concentrada, uma minoria tem vários veículos.

A reação da grande maioria, mesmo de quem acreditar que o governo trocou aumento em combustível por desconto na energia elétrica, será de desprezo pelo aumento. A esmagadora maioria que não tem carro achará muito justa a troca que não houve.

terça-feira, 29 de janeiro de 2013

Blog do Puty: Encontro Nacional de Prefeitos e Prefeitas

Blog do Puty: Encontro Nacional de Prefeitos e Prefeitas

Dias 28 e 30 de janeiro no Centro de Convenções Ulisses Guimarães, em Brasília (DF), ocorre o Encontro Nacional com Novos Prefeitos e Prefeitas - Municípios Fortes, Brasil Sustentável. O evento tem o objetivo de apresentar aos novos gestores municipais os programas do governo federal e de que maneira eles têm reflexo direto nas Prefeituras. A programação foi organizada com base em quatro eixos: Desenvolvimento Social, Desenvolvimento Econômico, Desenvolvimento Ambiental e Urbano e Participação Social e Cidadania.


Os temas dos programas nacionais, como Brasil Maior, Brasil sem miséria, PAC2 estão sendo desenvolvidos. As principais metas politicas para Educação, Saúde, Economia e Infraestrutura serão debatidas. O encontro visa criar concretamente formas eficazes de relacionamentos e parcerias entre União e Municípios.

Mais pelo Pará

O deputado Puty tem intensificado ações que visam fortalecer as relações entre os prefeitos do Pará e o governo federal. Essas ações visam oferecer condições orçamentárias, via emendas, assim como gerar canais para execução de projetos e políticas públicas do governo federal no estado.

O deputado Puty, vice-líder do governo, em entrevista para Rádio Pará, no município de Santa Maria, faz uma apresentação panorâmica dos assuntos que discute com prefeitos na oportunidade: fundo para municípios, arrecadação etc.


(Áudio: Fala deputado Puty de Brasília)


Mais ações do mandato e parcerias com municípios

Mediar conflitos


Puty participou dos processos que envolveram a Celpa em processo de recuperação judicial, intercedendo junto aos Ministérios Públicos Federal e Estadual para defesa dos interesses públicos, que dizem respeito à redução de tarifas locais, à celeração dos projetos do "Luz para todos" no estado, à cobrança de direitos de indenizações na justiça por danos causados por interferências no fornecimento de energia, e principalmente, intercedeu para a inclusão da conclusão da subestação de Tucuruí, já que esse empreendimento movimenta a economia da Região e ajuda a desenvolver outras obras complementares de infraestrutura.


Mais pela educação

O mandato de Puty tem firmado parcerias com prefeituras para apoiar a implementação de projetos do governo federal, como o PRONATEC, e principalmente, tem sido parceiro das universidades para ampliação de projetos de pesquisa. E mais significativamente,Puty tem sido um embaixador da criação da UNIFESSPA, que é um fato histórico para educação da Região e do Pará, no sentido de descentralizar os equipamentos, criar mais empregos e desenvolver o conhecimento científico com contribuições locais em áreas que visem o crescimento do estado.
Puty, como então, chefe da Casa Civil no governo do PT, atuou para aprovação do plano do Marajó sustentável, e já discute as prioridades das ações de energia, transporte, e principlamente, para elevar o Ideb e Idh do Marajó com as políticas de educação para o desenvolvimento de toda região e populações marajoaras.

Mais pela saúde

O Ministério da Saúde tem injetado muitos recursos no Pará para fazer funcionar os programas de prevenção, para melhorar as instalações de hospitais, como é o caso da Santa Casa e Hospital Metropolitano, mas infelizmente Puty tem acompanhado as apurações do Ministério Público Federal sobre desvio de recursos de programas nacionais e repasses para municípios no estado do Pará. Além disso, Puty tem sido um porta-voz no Congresso das lutas pelos direitos dos trabalhadores da saúde, como foi dos servidores do Evandro Chagas, que trabalham em pesquisas sobre doenças endêmicas entre outras; assim como foi dos médicos na questão da revisão dos salários.


Mais assistência


O deputado Puty tem sido parceiro do Ministério da Previdência, para implantação de agências da previdência social no estado em municípios, como Oeiras do Pará, onde a localização do município influencia muito na dificuldade da logística; e Xinguara, que por outro lado, se encontra em área estratégica para economia do estado.


Mais pelo campo

O deputado Puty solicitou a criação da frente parlamentar em defesa das populações tradicionais extrativistas. O debate ambiental tem sido a tônica das propostas de desenvolvimento para o futuro, no sentido de manter a floresta em pé, gerando renda e proteção das populações tradicionais extrativistas da Amazônia, e principalmente, que elas participem das pautas ambientais.

Com Texto Livre: Depois de Leveson, a União Europeia

Com Texto Livre: Depois de Leveson, a União Europeia

Sob o ensurdecedor silêncio da grande mídia brasileira, foi divulgado em Bruxelas, na terça-feira (22/1), o relatório “Uma mídia livre e pluralista para sustentar a democracia europeia”, comissionado pela vice-presidente da União Europeia, Neelie Kroes, encarregada da Agenda Digital [ver aqui a íntegra do relatório, acesso em 23/1/2013].

Preparado por um grupo de alto nível (HLG) presidido pela ex-presidente da Letônia, Vaira Vike-Freiberga, e do qual faziam parte Herta Däubler-Gmelin, ex-ministra da Justiça alemã; Luís Miguel Poiares Pessoa Maduro, ex-advogado geral na Corte de Justiça Europeia; e Ben Hammersley, jornalista especializado em tecnologia, o relatório faz trinta recomendações sobre a regulamentação da mídia como resultado de um trabalho de 16 meses que começou em outubro de 2011. As recomendações serão agora debatidas no âmbito da Comissão Europeia.

O relatório
O relatório, por óbvio, deve ser lido na íntegra. Ele começa com um sumário das principais conclusões e recomendações e, na parte substantiva, está dividido em cinco capítulos que apresentam e discutem as bases conceituais e jurídicas que justificam as diferentes recomendações: (1) por que a liberdade da mídia e o pluralismo importam; (2) o papel da União Europeia; (3) o mutante ambiente da mídia; (4) a proteção da liberdade do jornalista; e, (5) o pluralismo na mídia.
Há ainda um anexo de 12 páginas que lista as autoridades ouvidas, as contribuições escritas recebidas e os documentos consultados. A boa notícia é que quase todo esse material está disponível online.
Para aqueles a favor da regulamentação democrática da mídia – da mesma forma que já havia acontecido com o relatório Leveson – é alentador verificar como antigas propostas sistematicamente taxadas pela grande mídia e seus aliados da direita conservadora de autoritárias, promotoras da censura e inimigas da liberdade de expressão, são apresentadas e defendidas por experts internacionais, comissionados pela União Europeia.
Fundamento de todo o relatório são os conceitos de liberdade de mídia e pluralismo. Está lá:
“O conceito de liberdade de mídia está intimamente relacionado à noção de liberdade de expressão, mas não é idêntico a ela [grifo meu]. A última está entronizada nos valores e direitos fundamentais da Europa: ‘Todos têm o direito à liberdade de expressão. Este direito inclui a liberdade de ter opiniões, de transmitir (impart) e receber informações e ideias sem interferência da autoridade pública e independente de fronteiras’ (...).
“Pluralismo na mídia é um conceito que vai muito além da propriedade. Ele inclui muitos aspectos, desde, por exemplo, regras relativas a controle de conteúdo no licenciamento de sistemas de radiodifusão, o estabelecimento de liberdade editorial, a independência e o status de serviço público de radiodifusores, a situação profissional de jornalistas, a relação entre a mídia e os atores políticos etc. Pluralismo inclui todas as medidas que garantam o acesso dos cidadãos a uma variedade de fontes e vozes de informação, permitindo a eles que formem opiniões sem a influência indevida de um poder [formador de opiniões] dominante.”

Encontram-se no relatório propostas como: (1) a introdução da educação para a leitura crítica da mídia nas escolas secundárias; (2) o monitoramento permanente do conteúdo da mídia por parte de organismo oficial ou, alternativamente, por um centro independente ligado à academia, e a publicação regular de relatórios que seriam encaminhados ao Parlamento para eventuais medidas que assegurem a liberdade e o pluralismo; (3) a total neutralidade de rede na internet; (4) a provisão de fundos estatais para o financiamento da mídia alternativa que seja inviável comercialmente, mas essencial ao pluralismo; (5) a existência de mecanismos que garantam a identificação dos responsáveis por calúnias e a garantia da resposta e da retratação de acusações indevidas.
Pelo histórico de feroz resistência que encontra entre nós, vale o registro uma proposta específica. Após considerações sobre o reiterado fracasso de agências autorreguladoras, o relatório propõe:
“Todos os países da União Europeia deveriam ter conselhos de mídia independentes, cujos membros tenham origem política e cultural equilibrada, assim como sejam socialmente diversificados. Esses organismos teriam competência para investigar reclamações (...), mas também certificariam de que as organizações de mídia publicaram seus códigos de conduta e revelaram detalhes sobre propriedade, declarações de conflito de interesse etc. Os conselhos de mídia devem ter poderes legais, tais como a imposição de multas, determinar a publicação de justificativas [apologies] em veículos impressos ou eletrônicos, e cassação do status jornalístico.”
E no Brasil?
A publicação de mais um estudo oficial sobre regulamentação da mídia, desta vez pela União Europeia, menos de dois meses depois do relatório Leveson na Inglaterra, revela que o tema é pauta obrigatória nas sociedades democráticas e não apenas em vizinhos latino-americanos como a Argentina, o Uruguai e o Equador, mas, sobretudo, na Europa.
No Brasil, como se sabe, “faz-se de conta” que não é bem assim e o tema permanece “esquecido” pelo governo, além de demonizado publicamente pela grande mídia como ameaça à liberdade de expressão.
Quem se beneficia com essa situação? Até quando seguiremos na contramão da história?
Venício A. de Lima, jornalista e sociólogo, pesquisador visitante no Departamento de Ciência Política da UFMG (2012-2013), professor de Ciência Política e Comunicação da UnB (aposentado) e autor de Política de Comunicações: um Balanço dos Governos Lula (2003-2010), Editora Publisher Brasil, 2012, entre outros livros

Revista envolve Teixeira em suposto esquema no Catar | Brasil 24/7


Revista envolve Teixeira em suposto esquema no Catar | Brasil 24/7

Segundo a francesa 'France Football', o Catar ganhou a eleição para sediar a Copa do Mundo de 2022 comprando votos de membros do Comitê Executivo da Fifa, e o ex-presidente da CBF, Ricardo Teixeira, estaria envolvido no caso, já apelidado de ‘Qatargate’

29 DE JANEIRO DE 2013 ÀS 19:37

247 - Um dossiê de 20 páginas da revista francesa France Football dá conta de que o Catar só conseguiu o direito de sediar a Copa do Mundo de 2022 graças à compra de votos. E o 'Qatargate', como o escândalo foi apelidado, teria envolvimento até do ex-presidente da CBF Ricardo Teixeira. Leia matéria da espn.com.br sobre o assunto:

Revista francesa acusa Catar de ter comprado a Copa de 2022 e inclui Teixeira em dossiê

Uma das principais publicações esportivas do mundo, a revista ‘France Football’ revelou nesta terça-feira ter feito um dossiê de 20 páginas sobre a escolha da sede da Copa do Mundo de 2022 e garante: o Catar ganhou a eleição comprando votos de membros do Comitê Executivo da Fifa.

Intitulado ‘Qatargate’, o documento provaria que Fifa e as federações de futebol da França e dos Emirados Árabes Unidos foram cúmplices da corrupção. O ex-presidente da CBF, Ricardo Teixeira, também estaria envolvido no caso de compra de votos. Segundo a revista, o amistoso entre Brasil e Argentina, no final de 2010, seria o pagamento: a CBF recebeu US$ 7 milhões pelo jogo, quando normalmente ganha US$ 1,2 milhão por partida amistosa.

Ex-membro do Comitê Executivo da Fifa, Teixeira era uma das 24 pessoas responsáveis pela escolha da sede do Mundial.

Além disso, o presidente da Uefa, Michel Platini, teria envolvimento como um dos organizadores das negociações com os catares

O ex-jogador francês garantiu que se encontrou com o então presidente da França, Nicolas Sarkozy, e com o primeiro-ministro do Catar, Hamad bin Jassim bin Jaber Al Thani. “Um dia fui convidado para um jantar por Sarkozy em que estava o primeiro-ministro do Catar. O senhor Sarkozy nunca me pediu durante o jantar para votar no Catar. Convidou-me para jantar, mas sabiam que seria independente e que votaria em que eu quisesse”, afirmou Platini.

Após a eleição de 2 de dezembro de 2010, Platini confirmou ter votado no Catar: “Votei porque era o momento de ir a um país nessa parte do mundo. Tinha sido candidato cinco vezes”.

Ex-diretor da Fifa, Guido Tognoni disse se tratar de uma “pequena máfia” a escolha pelo país-sede de uma Copa do Mundo. Para corroborar a acusação, a ‘France Football’ revela a conversa via e-mail de um alto dirigente da entidade máxima do futebol mundial com outro membro “sênior” dizendo: “Eles compraram a Copa”.

No pleito de pouco mais de dois anos atrás, o Catar surpreendeu ao derrotar Estados Unidos, favoritos, Austrália, Coreia do Sul e Japão, pois sua candidatura era considerada a menos completa de todas do ponto de visto da infraestrutura e da apresentação “nebulosa”.

A primeira denúncia contra o Catar foi feita por Jack Warner, ex-vice-presidente da Fifa e chefe do futebol de Trinidad e Tobago. À época, ele afirmou que quatro membros do Comitê Executivo votam no país do Oriente Médio mediante suborno: o camaronês Issa Hayatou, o paraguaio Nicolás Leoz, o argentino Julio Grondona e o guatemalteco Rafael Salguero.

A 'France Football' é considerada uma das mais influentes revistas de futebol do mundo e, por coincidência, é parceira da Fifa no prêmio de melhor jogador do ano, a Bola de Ouro.

No PT, Zé de Abreu migra do palco para a política | Brasil 24/7

No PT, Zé de Abreu migra do palco para a política | Brasil 24/7



Um dos militantes políticos mais ativos da internet brasileira, o ator José de Abreu decide se filiar ao PT e será âncora dos próximos programas do partido; com o apoio do ex-presidente Lula, ele tentará ser deputado federal, mas uma de suas principais missões é ajudar a eleger Lindbergh Farias governador do Rio em 2014; ao 247, ele falou sobre a decisão: "O PT precisa reconquistar os intelectuais, os artistas e a juventude"; segundo ele, "enquanto a esquerda se distraiu, a direita se organizou"

29 DE JANEIRO DE 2013 ÀS 11:53

247 - Com mais de 72 mil seguidores no Twitter, o ator José de Abreu é hoje um dos principais militantes políticos brasileiros. Incansável, ele divide o tempo em atuação no teatro e nas novelas, como em Avenida Brasil, com sua tribuna nas redes sociais, que é, inegavelmente, uma das mais influentes do País. Agora, ele está prestes a se reinventar mais uma vez. Quinze dias atrás, numa conversa com o ex-presidente Lula, o ator global decidiu se filiar ao PT e irá concorrer ao cargo de deputado federal, em 2014. "Chegou a hora de uma ação política direta", disse ao 247.

Suas primeiras missões já começam a ser desenhadas. Abreu será o âncora dos programas do PT no Rio de Janeiro e deverá iniciar uma caravana pelo interior do estado, acompanhado do senador Lindbergh Farias (PT-RJ). Inspirado nas caravanas da cidadania de Lula, Lindbergh promete visitar todos os municípios do Rio, para tentar quebrar a hegemonia do PMDB e se eleger governador em 2014.

Zé de Abreu, no entanto, tem uma agenda própria. "Nos últimos anos, o PT se distraiu em relação aos artistas e intelectuais", afirma. "É preciso reconstruir essa ponte". Ele recorda que, em 1989, praticamente todos os artistas da Globo aderiram ao "Lula-lá". Hoje, diante do massacre midiático decorrente do mensalão, mesmo os que ainda se identificam com o PT, se escondem.

Nas redes sociais, o ator percebe um movimento em gestação. "Há espaço para uma nova agenda, muitos estão descontentes com o discurso único". Nos grandes jornais, por exemplo, José de Abreu nota que todos os colunistas, de uma forma ou de outra, são ligados ao Instituto Millenium, que abraça nomes como Merval Pereira, Marco Antonio Villa, Guilherme Fiúza e Carlos Alberto Sardenberg, entre tantos outros. "Enquanto a esquerda se distraiu, a direita se organizou", afirma Zé de Abreu. "E o resultado foi uma guinada conservadora no pensamento do País".

Em relação à Globo, Abreu já fez uma consulta para manter seu contrato, mas numa espécie de licença não remunerada, podendo voltar ao Projac depois de exercer um eventual mandato ou de, simplesmente, concorrer. "Difícil vai ser me acostumar com o terno", afirma. "Mas eu gosto muito da agitação de Brasília".

Blog da Franssinete Florenzano: Secretário faz chacota com morte dos jovens no RS

Blog da Franssinete Florenzano: Secretário faz chacota com morte dos jovens no RS

Num momento especialmente dramático para todos os brasileiros, o secretário de Estado de Comunicação do Pará, Ney Messias, mostra toda a sua incapacidade de respeitar os outros e zomba publicamente da desgraça que comoveu o País e o mundo inteiro. A morte de 234 jovens, em circunstâncias aterrorizantes, é motivo de diversão para esse expoente do secretariado do governador Simão Jatene(PSDB).

O que dizer de um indivíduo que faz escárnio com tragédia de tal monta? Pobre Pará, que definitivamente não merece tal afronta. Pobre Brasil, que jamais deveria tomar conhecimento de tão baixa existência!