BLOG DO VICENTE CIDADE

Este blog tem como objetivo falar sobre assuntos do cotidiano, como política, economia, comportamento, curiosidades, coisas do nosso dia-a-dia, sem grandes preocupações com a informação em si, mas na verdade apenas de expressar uma opinião sobre fatos que possam despertar meu interesse.

terça-feira, 31 de agosto de 2010

Programa Ana Júlia Governadora 13 -


Agora começou a verdadeira campanha. Vamos mostrar nossa difença, enquanto eles entregaram a CELPA, nós reduzimos impostos para os consumidores de baixa renda. Acelera...

  

Dilma no Jornal da Globo - bloco 2

Na entrevista concedida na noite de segunda-feira 30/08 ao Jornal da Globo, a companheira Dilma arrebentou.

Pelo menos dessa vez a entrevista teve um tom cordial, bem longe das grosserias, agressões e da falta de educação do Jornal Nacional, com mais tempo e menos interrupções foi possível desenvolver respostas contundentes às provocações dos apresentadores.

Dilma demonstrou a todos que realmente fora no governo Lula, uma das principais responsáveis pelo grande sucesso do governo. Mostrou que está muito preparada e que a escolha de Lula para ela o sucedesse não foi por ocaso, mas, uma consequência da sua capacidade técnica e política.

Na minha opinião, toda a entrevista foi boa, mais o ponto alto foi quando Dilma desqualificou a afirmativa do apresentador do Jornal da Globo, William Waack, de que o Brasil precisa de novo ajuste fiscal. Dilma explicou com muita propriedade que ajuste fiscal é uma bandeira tucana e não uma necessidade do país, afirmou que eficiência em gestão pública não é só cortar gastos, mas gastar bem e induzir o desenvolvimento do país, deixando o entrevistador calado, refletindo sobre a besteira que dissera.

Na prática o que a Dilma quis dizer é que os tucanos defendem o ajuste fiscal porque são praticantes da tese do "Estado Mínimo". Ou seja, para os tucanos, o Estado não deve ter função indutora de desenvolvimento, devendo entregar aos setores privados toda a responsabilidade pelos investimentos do país, tendo como consequência ireta dessa política, o desmonte do estado a entrega do pratrimônio público. 

Do blog Espaço Aberto

Respondo a proposição do blog Espaço Espaço a governadora ana Júlia encaminhou sua manifestação a qual republico aqui.

Terça-feira, 31 de agosto de 2010

O que eu pretendo fazer pelo Pará como governadora

ANA JÚLIA CAREPA (PT)
Candidata da Frente Popular Acelera Pará ao governo do Estado

Eu assumi o governo do Pará, em 2007, depois de três gestões seguidas do PSDB, cujo modelo foi o do estado mínimo, da privatização, da exportação das nossas riquezas em seu estado bruto, com baixo incentivo à geração de emprego e renda, com nenhuma preocupação com a distribuição de renda, com o desmonte das escolas públicas, da segurança pública, dos prédios bonitos por fora e dos hospitais com baixo custeio para atendimento público. Havia um total abandono do interior e os prefeitos tinham que beijar mãos para conseguir alguma melhoria. Tanto abandono fortaleceu até os movimentos pela divisão de nosso estado.

Eu me apresento à reeleição com a convicção de ter transformado esse modelo de Estado mínimo e de ter cumprido minhas promessas eleitorais de 2006. Como o presidente Lula também precisou de um segundo mandato para colocar nosso país nos trilhos, eu também peço essa oportunidade. Nós conseguimos trabalhar em parceria com o governo Lula, trazendo investimentos estruturantes há décadas esperados pela população e essenciais para fomentar o novo modelo de desenvolvimento econômico com inclusão social. Colocamos realmente o Pará nos trilhos, situação que pode ser comprovada por dados econômicos. E será junto com a futura presidente da República, Dilma Rousseff (PT), que nós vamos continuar trabalhando juntos para acelerar o Brasil e o nosso Estado.

Já garantimos R$ 109 bilhões ao PAC Pará para continuarmos no rumo do crescimento sustentável nos próximos quatro anos. Criamos as condições para iniciar a industrialização das nossas matérias-primas: o minério de ferro de Carajás, a bauxita de Juruti, o cacau da Transamazônica, a madeira e o óleo de palma da região do Capim. Trouxemos a siderúrgica da Vale para Marabá, criando um pólo minero-metalúrgico de equivalência econômica à Companhia Siderúrgica Nacional (CSN), instalada nos anos 30 e que foi privatizada no período Collor, o inspirador das políticas neoliberais herdadas pelo PSDB e que resultaram na privatização de companhias estratégicas, como a Celpa, no Pará. Hoje, por essa herança, a população amarga contas altíssimas de energia, enquanto nosso governo, com Lula, leva o Luz Para Todos a cerca de 1 milhão de paraenses.

Já garantimos 10% da produção de Belo Monte ao nosso Estado e mais de R$ 3 bilhões para ações de compensação ambiental e desenvolvimento sustentável do Xingu. Conseguimos, com o Lula, a pavimentação da Transamazônica e da Santarém-Cuiabá, com a inauguração já do primeiro trecho, além das eclusas de Tucuruí e a hidrovia do Tocantins-Araguaia, vitais para o escoamento da produção do Sul e Sudeste do Pará até Vila do Conde e, de lá, para o mundo. Os incentivos fiscais, a regularização fundiária, o Zoneamento Econômico Ecológico em 122 municípios e o Cadastro Ambiental Rural também foram importantes para atrair investidores. Em 2009, 11 mil novas empresas abriram as portas no Pará.

No primeiro semestre deste ano, geramos 17 mil novos postos de trabalho, 10 mil a mais que o mesmo período de 2006, no governo anterior. Em 12 meses, geramos 40 mil empregos, um recorde em nosso estado. Criamos o Bolsa Trabalho e, junto com o Projovem do governo Lula, envolvemos 70 mil jovens em programas de qualificação e ensino formal. Cerca de 20 mil deles já estão trabalhando com carteira assinada e mais de 1 mil iniciaram o próprio negócio.

FUTURO

No próximo mandato, o Pará vai continuar crescendo no ritmo do Brasil com o PAC do Pará. É fato que a educação terá R$ 657 milhões. Vamos reformar e ampliar mais de 1 mil escolas, construir 60 novas escolas, expandir a Universidade do Estado (UEPA) e as escolas tecnológicas. Todas as escolas terão bibliotecas, e vamos prosseguir na interligação destas com os centros universitários pelo Navegapará, já considerado o maior programa de inclusão digital do Brasil. Vamos erradicar o analfabetismo até 2014.

Na segurança pública, vamos construir e reformar 56 delegacias e quase 250 unidades de atendimento de polícia em todo o Estado, incluindo mais 111 postos de polícia comunitária, que tem tido resultados positivos nas localidades onde já funciona. Também vamos criar a Agência de Inteligência Policial, o novo Centro Integrado de Operações (Ciop) e a Coordenação Estadual de Polícia Comunitária. E vamos continuar ampliando o efetivo de policiais.

Na saúde serão R$ 296 milhões aplicados em obras, especificamente. Vamos concluir a nova Santa Casa e concluir dois pronto-socorros, expandir a rede de atendimento no interior e na capital com mais quatro Unidades de Cuidados Intermediários (UCIs) neonatais, quatro hospitais de pequeno porte e a reforma e ampliação de 10 hospitais municipais e dos hospitais das Clínicas e Ophir Loyola. Vamos descentralizar os atendimentos de cardiologia e oncologia para Marabá e Tucuruí, como já fizemos com a radioterapia em Santarém, e estender a hemodiálise a mais municípios. A Saúde da Família e a imunização serão reforçadas em todo o Estado. Criaremos o Banco de Transplante de Órgãos e Tecidos e o Serviço de Transplante de Medula Óssea e faremos o PCCR dos servidores da saúde. Também teremos um total de 40 UPAs (Unidades de Pronto Antendimento). Temos uma pronta e 18 iniciadas em 2010.

Investiremos R$ 5,8 bilhões em estrutura para o desenvolvimento. Teremos terminais hidroviários em Icoaraci e Ananindeua e rampas de integração rodofluvial na nova hidrovia em Breu Branco, Cametá, Itupiranga, Novo Repartimento e Tucuruí, entre outros. As rodovias terão R$ 2,6 bilhões, com destaque para a melhoria da Alça Viária e das rodovias que interligam Vila do Conde à fronteira do Mato Grosso, de trechos das PAs 256, 252, 151, 370, 263 e 279 e Perna Leste. Também faremos a segunda fase do terminal fluvial de passageiros do porto de Belém, ampliação do pátio de contêineres.

Vamos investir R$ 10 bilhões em habitação, com a construção de 80 mil casas populares e R$ 6,7 bilhões para o financiamento habitacional. Teremos R$ 3,2 bilhões para o programa Água e Luz para Todos, com meta de levar energia a 70 mil famílias rurais e abastecimento de água na área urbana de Ananindeua e outros municípios. Teremos R$ 153 milhões para implantar os Parques de Ciência e Tecnologia do Tocantins, em Santarém, e Tapajós, em Marabá, além de R$ 151 milhões para fazer mais 600 infocentros (hoje já são mais de 150) e cidades digitais.

A regularização fundiária será estendida a mais 20 municípios. Vamos intensificar a reforma agrária com as terras arrecadadas nesse processo e estimular o agronegócio com a expansão da assistência técnica e da logística. Outra meta é a regulamentar o zoneamento da Calha Norte e Zona Leste, estimular e apoiar os zoneamentos municipais e consolidar o ordenamento territorial, regularização fundiária e gestão ambiental do Estado. Finalmente o Marajó terá zoneamento e a regularização fundiária. Também criaremos o Instituto de Geologia e Mineração do Estado.

Informo aqui as principais propostas de governo para 2011-2014. O enfrentamento da pobreza, a defesa dos direitos da juventude, da cidadania LGBT e de mulheres e homens, a igualdade racial, o direito dos povos indígenas e a cultura também estão nesse programa. Arrumamos a casa e agora peço, com humildade, mais essa oportunidade para acelerar o crescimento do Pará.

--------------------------------------

Ana Júlia Carepa foi a primeira candidata a remeter ao blog artigo cujo tema foi proposto a todos os demais concorrentes ao governo do Estado.

A foto é de Rennato Testa.

Repercutindo comentário...

No post anterior, sobre a avaliação que fiz da pesquisa divulgada pelo IBOPE para o governo do Pará, recebi um comentário interessante que resolvi trazer para página da frente.

Navegante:
Cristina disse...

Mas porque será que a Ana Julia tem este alto índice de rejeicao?...
30 de agosto de 2010 15:48

Resposta do blog:
Cara Cristina,

Em minha opinião a rejeição da governadora está diretamente ligada ao desconhecimento das ações de governo implementadas pela gavernadora. Acredito que houve falha na comunicação do governo com a sociedade.

Tenho conversado com muita gente nesta campanha e essa é impressão que tenho. Quando a gente começa a enumerar obras e ações as pessoas chegam a se surpreender e alegam que não tinham conhecimento desses fatos.

Só para te dar um exemplo, neste domingo estive numa festa na casa de minha mãe, no conjunto Médice, e conversei com um conjunto de amigos que alegaram que a governadora não teria feito nenhuma obra em Belém. Imediatamente questionei a eles sobre o Ação Metrópole, que, no caso do Médice, teve um benefício direto.

Hoje, quem mora na Marambaia e trabalha no centro da cidade ganhou, pelo menos uma hora por dia fora dos engarrafamentos e isso atinge diretamente a qualidade de vida das pessoas. É pelo menos uma hora a mais para ficar com a família, fazer exercício, ler um livro, ver um filme ou o que for. Ou seja, menos trânsito é mais qualidade de vida.

Essa intervenção na cidade já estava prevista há pelo menos uns 20 anos, mas, só agora a governadora está concretizando.

Portanto Cristina, as vezes demora um pouco para as pessoas perceberem as mudanças, ainda que elas estejam acontecendo dia após dia. Entretanto, numa campanha eleitoral, o método de comunicação é mais agressivo e atinge mais rápido as pessoas, é por isso que avalio que a Governadora Ana Júlia tende a subir nas intenções de voto a medida que a campanha avance. Consequentemente cairá a sua rejeição e com isso, o candidato da oposição tende a cair também.

Obrigado pela visita. 

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Pesquisa IBOPE no Pará

A primeira pesquisa do IBOPE, publicada hoje no jornal Liberal, apesar da clara manipulção dos números, haja vista que foi inclusive impugnada pela justiça eleitoral, revela que a situação no Pará só será mesmo resolvida no 2º turno.

Os números mostram que a performace da governadora tende a melhorar, já que sua rejeição está diminuindo rapidamente e ao que tudo indica, a intenção de voto em Jatene está diretamente relacionada à essa condição, pois o volume da campanha tucana nem de longe retrata o tamanho de uma campanha acima dos 40 pp, muito menos a realidade das ruas.

No Pará, assim como em todo Brasil, Dilma caminha para uma vitória no 1º turno, demonstrando a força do presidente Lula e isso tendenrá a alavancar a campanha de Ana Júlia no estado. Com a parceria entre Lula e Ana o Pará finalmente conseguiu nuetralizar a forte influência exercida pelo Sarney, que tanto prejudicou o Pará, já que Sarney sempre conseguia levar os benefícios da verticalização mineral para o estado do Maranhão.

Com Lula e Ana Júlia, o Pará ganhou o pólo metarlúrgico, duplicação da transamazônica e construção de porto  em Marabá, no sudeste do estado, integrando com a hidrovia Araguaia-Tocantins, conclusão das eclusas de Tucuruí e ampliação do porto de Vila do Conde; Juntos também troxeram o pólo de bioenergia, no nordeste paraense, que além de desenvolvimento econômico trará obras de infraestrutura para toda a região.

Por outro lado, enquanto a candidatura de Ana Júlia está fortalecida no plano nacional com Lula e Dilma, no plano estadual conseguiu agregar em torno de si a maior frente partidária já vista no Pará, com 14 partidos polítcos e mais da metade dos prefeitos do estado, incluindo aí prefeitos de partidos fora da coligação, como do PMDB e DEM.

Enquanto isso a candidatura tucana soma inúmeras baixas, como o ex governador Almir Gabriel e de sua ex vice governadora Valéria. Até o momento Jatene não foi fortemente confrontado, na sua aposta na tese do esquecimento das massas eleitorais, já que, quando governador, seu governo foi tão mal avaliado que sequer conseguiu o apoio pra sua reeleição, perdendo a indicação para Almir Gabriel, que mesmo assim perdeu a eleição e culpou o seu ex pupilo, acusando-o inclusive de corpo mole e mau caratismo.

Portanto, a população perceberá que a parceria entre Dilma e Ana será melhor para o Pará continuar acelerando.

Programa Ana Júlia Governadora 13 - nº 04 - Noite

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Campanha, campanha, campanha !!!

Companheiros,
Tive acesso aos números da sondagem interna do PT para a disputa do governo do estado. O resultado é animador, estamos caminhando para a vitória.
Não fiquem assombrados com boatos amarelos de que a disputa está desigual, porque não está.
A hora é de intensificar a campanha com mais garra, confiança e alegria.

Minha avaliação do debate da BAND

Pra mim, a fórmula rígida da televisão que impõe tempos mínimos para que os candidatos desenvolvam suas idéias, prejudica substancialmente o debate. Contudo, ainda assim, acredito que o programa serve para demonstrar tendências políticas e estratégicas das candidaturas. Neste sentido, a avaliação que faço do debate da RBA é a seguinte:

a) Governo na berlinda - mesmo sendo atacada por todos, achei a participação da governadora Ana Júlia segura, embora tenha evitado confrontos mais ríspidos com seus adversários. O ponto alto foi ter feito Jatene criticar o presidente Lula;

b) Soberba e Esclerose tucana – além de uma figura inflada pela soberba, o Ex governador Simão Jatene parece apostar na máxima de que o “povo tem memória curta”, “vomita pelos cotovelos” feitos de sua gestão, como esta tenha ficado marcada como exemplo de gestão no estado. Jatene parece ter esquecido que seu governo foi tão ruim, que não só lhe foi negado o direito de disputar a reeleição como também levou a então maior liderança tucana no estado a uma derrota eleitoral. Foi beneficiado pela benevolência dos demais debatedores, que só se voltaram contra a governadora;

c) Canalhices e mentiras – a postura do candidato Juvenil, foi, no meu entendimento, sacana e odiosa, abusou do uso de mentiras e foi leviano quando acusou o PT de patrulhamento nas secretarias do PMDB, bem como quando menosprezou covardemente a participação da governadora na atração dos investimentos para o estado e ainda a acusou de perder a indicação de Belém como subsede da Copa 2014. O pior de tudo foi a “troca de passes” com Simão Jatene;

d) Subserviência inquietante – quanto ao Fernando do PSOL, não era de esperar outra atitude se não a de confronto direto com a governadora e o PT. O PSOL demonstrou que há um certo acordo tácito rolando com o PMDB, logo cumpriu direitinho com a tarefa que lhe fora dada.

Independente da avaliação individual de cada candidato, o que fica na verdade é indicação, pelo menos até o momento, de que o alvo do PMDB é a governadora. Ou seja, ao que parece o PMDB está investindo suas fichas na conquista de votos na base do eleitorado que rejeita o governo do PT e que, até o momento, migra para o candidato Jatene.

O problema dessa estratégia é que enquanto a governadora fica na berlinda, o tucano vai nadando de braçada, consolidando sua ida para o segundo turno. Já o PMDB partindo para cima do PT, confunde o eleitorado e militância, o que poderá gerar estragos numa eventual aliança no segundo turno.

Se essa tendência se consolidar, de enfrentamento entre petistas e peemedebistas, a lógica é que o segundo voto de ambos para o senado, seja direcionado para rumos opostos e aí, sabe-se lá o que pode ocorrer.

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Fora Klautau!!

Quando o presidente do Clube do Remo, Amaro Klautau, deu sua primeira marretada no escudo do glorioso Leão Azul, que permanecia intocado no centenário pórtico do BAENÃO, não foram só pedras partidas que foram ao chão, as marretadas de Amaro atingiram em cheio o coração da Nação Azulina, justamente por aquele que jurou honrar e defender as cores do clube.

Tá hora de inventar um escândalo contra o PT !!

Agora que a tendência de Dilma ganhar a eleição já no primeiro está mais clara e consolidada, com Dilma abrindo 20 pp para o segundo candidato, a mídia tucana (PIG) tenta novamente criar um crima de escândalo polóitico para tentar inpedir que Serra apanhe tão feio assim.

Da mesma forma como fizeram com o Lula, quando inventaram um escândalo que acabou levando a disputa para o segundo em 2006, com a aquela fatídica foto de dinheiro empilhado como tijolhinos na sede da PF.

Vejam o que disse o blog amigos do Presidente Lula sobre o fato:

quarta-feira, 25 de agosto de 2010


Jornal tucano não conta, José mente, e a verdade é: A pedido do PT,PF investiga “dossiê” criado pelo PSDB para prejudicar campanha da Dilma

José Serra se acha esperto e pensa que nós somos um bando de idiota. Sem ter mais nada para fazer já a campanha foi para o buraco, o candidato tucano apareceu no jornal de assessoria do PSDB, dizendo que que violação de sigilo de tucanos mostra 'tática suja' e 'pura espionagem' do PT. Na outra ponta, o jagunço babaca Sérgio Guerra disse "ninguém segura mais" investigação na Receita"...
Serra mente descaradamente. E Sérgio Guerra prova que é babaca. No dia 27 de junho, nós publicamos aqui no blog "A pedido do PT, PF investigará dossiê criado pelo PSDB para prejudicar campanha da Dilma"
O jornal do PSDB a Folha de São Paulo, PSDB e o candidato José Serra, acusam a campanha da candidata Dilma Rousseff (PT), de quebra do sigilo fiscal e bancário do vice-presidente executivo do PSDB, Eduardo Jorge Caldas Pereira.No entanto, nem Eduardo Jorge, nem PSDB,nem José Serra, acionaram a Polícia Federal para investigar o caso. Estanho não?. Se o PSDB tem tanta certeza de que a campanha da Dilma quebrou o sigilo do Eduardo Jorge, não seria natural pedir para a Polícia Federal investigar?
Pois bem. Diante das acusações, sem provas, que o candidato José Serra, tem feito na imprensa nos últimos dias, o PT ingressou com um pedido na PF para que fosse instaurado um inquérito para apurar "a veracidade" e a "autoria" do ato ilegal.
A Corregedoria-Geral da PF emitiu parecer pela abertura da investigação, a ser conduzida pela Superintendência Regional do órgão no Distrito Federal.Ou seja. A Polícia Federal decidiu abrir investigação sobre a quebra do sigilo fiscal e bancário do vice-presidente executivo do PSDB, Eduardo Jorge Caldas Pereira.
Em nota, a PF informou que assumia a competência do caso porque a "União, representada na figura da Receita Federal, tem interesse no esclarecimento dos fatos, para descobrir se esses dados teriam "vazado" do banco de dados do fisco".

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Mosca na Sopa!!

Parece que o PTB do Dudu é mesmo a mosca na sopa do PT.

Mesmo contrariando a base do partido, o acordo eleitoral que trouxe o Dudu para a coligação que apoia à reeleição da governadora Ana Júlia foi bancado pela direção da campanha. Lê-se nesse caso Everaldo Martins, André Farias, João Batista e Paulo Rocha.

Mas, como minha vó sempre me dizia, não se dá murro em ponta de faca. E não deu outra: não é que o PTB aparece hoje no horário eleitoral com um apresentandor de antigas campanhas tucanas, vestindo camisa amarela com uma bola azul no centro, ou seja, com a camisa do PSDB.

Vamo ver agora o que vão fazer os "caras" !! Que saudade do "Núcleo Duro"!!
   

Datafolha: Dilma chega a 49%, 20 pp acima de Serra !!

Enviado por Ricardo Noblat - 25.8.2010

22h54m.Datafolha - Dilma, 49%; Serra, 29%

O DataPolvo, instituto de pesquisa deste blog, informa em edição extraordinária: aumentou de 17 (em 20 de agosto) para 20 pontos a diferença entre Dilma e Serra na pesquisa Datafolha que será publicada pelo jornal Folha de S. Paulo nesta quinta-feira.

Placar: 49% de intenção de votos para Dilma contra 29% para Serra.

Dilma cresceu dois pontos. Serra caiu um ponto - tudo dentro da margem de erro da pesquisa.

Na anterior, Dilma havia avançado 6 pontos e Serra recuado 3.

Desta vez foram entrevistados quase 11 mil eleitores em todo o país.

A pior notícia para Serra não é a vantatem de 20 pontos de Dilma. Mas o que está acontecendo região por região do país, classe social por classe social.

Juvenil mente e releva golpe !!

Quem assistiu o candidato do PMDB hoje na entrevista do SBT, com a Úrsula Vidal, pode perceber uma estratégia mentirosa e vergonhosa.
Juvenil se referiu a uma pesquisa "publicada" na revista Isto É Dinheiro, na qual ele afirmou estar em segundo e Ana Júlia em terceiro.
Daí se derivam dois fatos: 1) não há pesquisa publicada e registrada no TRE do Pará, logo como a revista em sua edição nº 672 pode ter afirmado que Ana Júlia está em terceiro; 2) a pesquisa mensionada por Juvenil é aquela divulgada pelo Vic, quando o deputado Jader ainda estava na disputa, ou seja, não tem nada haver com a realidade de hoje.
Depois ficam dizendo que representar ação contra a imprensa é censura. Mas, como a revista pode impunimente publicar uma informação mentirosa como essas?

Salafrário !!!

A atitude do tucano Amaro Klautau, presidente do Clube do Remo, é no mínimo dígna de pelo menos uns 10 adjetivos, escolhi um que segnifica ao menos a metade disso.
O desreito desse tucano com a agremiação centenária que dirige foi tanto, que mandou por abaixo o próprio símbulo do clube, numa atitude de total incompatibilidade com função que ocupa.
Desde que assumiu a presidência do clube, sua única meta é vender o patrimônio do Clube do Remo, mas agora, ele foi longe demais, seu cinismo foi tanto que, inclusive, fez questão de dizer o motivo da destruição do pórtico centenário que ostentava o símbulo do clube: agora podemos vender.
Essa atitude demonstra bem como são os tucanos, se apossam do bem público para destruí-lo, para liquidá-lo. Eles fizaram isso com a CELPA, com VALE, com a COSANPA, com a COHAB e por aí vai.
Pelo bem do Clube do Remo e sua história centenária, é hora de todos os "Azulinos da cidade" darum basta nesta situação.
FORA, KLAUTAU !!   

terça-feira, 24 de agosto de 2010

Programa de TV - Tarde - 24/08

Galera taí o programa de hoje a tarde da Dilma. Não vão chorar !!

Com 46%, Dilma lidera e venceria no 1º turno, diz pesquisa Sensus

24/08/2010

Eduardo Bresciani
Do G1, em Brasília

A candidata do PT, Dilma Rousseff, acumula 46% das intenções de voto e venceria a eleição para presidente da República no primeiro turno, segundo dados de pesquisa Sensus encomendada pela Confederação Nacional do Transporte (CNT) e divulgada nesta terça-feira (24).
José Serra (PSDB) aparece com 28,1% e Marina Silva (PV), com 8,1%. De acordo com a pesquisa, Dilma venceria no primeiro turno porque, se a eleição fosse hoje, teria mais do que a soma dos votos de todos os demais candidatos.

Na pesquisa anterior, de 5 de agosto, Dilma tinha 41,6%, Serra registrava 31,6% e Marina 8,5%.
O instituto entrevistou 2 mil eleitores em 136 municípios de 24 estados dos dias 20 a 22 . A margem de erro do levantamento é de 2,2 pontos percentuais para mais ou para menos.
Plínio de Arruda Sampaio (PSOL) e Zé Maria (PSTU) registraram 0,4% na pesquisa. Eymael (PSDC) teve 0,3%, Rui Costa Pimenta (PCB) teve 0,2% e Levy Fidelix (PRTB) e Ivan Pinheiro (PCB) não pontuaram.
A parcela de eleitores que disse votar em branco ou nulo ficou em 5,1%, e os que não souberam ou não responderam foram 11,7%.

Pesquisa espontânea

Na parte da pesquisa em que os entrevistados respondem espontaneamente em que votariam (sem que seja apresentado a eles o cartão com os nomes dos candidatos), Dilma tem 37,2%, Serra, 21,2%, e Marina, 6%, segundo o Sensus. O candidato Zé Maria aparece 0,6%, Plíniio, com 0,2%. Eymael, Ivan Pinheiro e Rui Costa Pimenta tiveram 0,1%. Levy Fidelix não pontuou.

Segundo turno

No cenário de uma eventual disputa em segundo turno entre Dilma e Serra, a vantagem também é da petista. Ela teria 52,9% contra 34% do tucano. Na pesquisa anterior, Dilma vencia por 48,3% a 36,6%.

Rejeição

A pesquisa mostra também o índice de rejeição dos candidatos. No levantamento, 47,9% disseram que não votariam em Marina Silva (PV) de jeito nenhum. Para José Serra (PSDB), esse percentual é de 40,7%. Dilma Rousseff apareceu com 28,9%.

Expectativa de vitória

Para 61,8% dos entrevistados, independentemente do candidato em quem vão votar, Dilma vai ganhar a eleição. Para 21,9%, o vencedor será José Serra.

Horário eleitoral

A pesquisa mostra que 13,2% dos entrevistados assistiram a todos os programas do horário eleitoral gratuito. Foram 29,7% os que disseram ter visto em parte e 22,8% disseram ter ouvido falar ou conversado sobre o assunto.
O levantamento diz que 56% dos entrevistados avaliaram o programa de Dilma como o melhor do horário eleitoral. Para 34,3%, Serra apresentou o melhor programa e 7,5% gostaram mais do programa de Marina.

Por regiões

No levantamento por regiões, Serra só vence Dilma no Sul, segundo o Sensus. Nessa região, o tucano tem 47,8% contra 35,7% da petista. Marina aparece com 6,9%. A maior vantagem da petista é na região Nordeste. Ela tem 62,1% contra 19,8% de Serra; Marina fica com 6,4%. Na região Sudeste, a petista está na frente com 39,2% contra 27,6% do tucano e 9,7% da candidata do PV. Nas regiões Norte e Centro Oeste somadas, Dilma soma 45% contra 25,5% de Serra e 7,6% de Marina.

Homens e mulheres

Na intenção de voto por gênero, Dilma tem 49,4% entre os homens, Serra tem 28,7% e Marina, 7,6%. Entre as mulheres, a petista aparece com 42,9%, o tucano, com 27,4% e Marina, com 8,4%.

Censura? não, é Cara de Pau mesmo de quem se acha Dono da Verdade!!

A coligação do Jatene entrou com uma representação jurídica contra a blogueira Francinete, exigindo que ela retirasse do seu blog uma postagem que fez divulgando números de uma dita pesquisa interna do PT, com sondagens para a eleição de governador no estado. Também solicitou que imposta à blogueira uma pessada multa, superior a R$ 100.000,00.

O ato de censura praticado por Jatene tenta esconder a verdadeira motivação da sua representação, que a estratégia da tucanalha de divulgar pesquisaas mentirosas, fazendo o povo acreditar que o "Jateve" está em posição favorável na eleição.

Todo mundo sabe, inclusive a justiça eleitoral, que as instituições Demotucanas FIEPA e FAEPA estão montando um aparato extra oficial para produzirem sondagens eleitorais não oficiais. Evidentemente que o resultado dessas sondagens não serão sigilosos e serão utilizados de acordo com os interesses dessa corja.

Temos visto, inclusive no próprio Blog da Francinete no post censurado, que o patrulhamento tucano é mordaz e que, os defensores amarelos, se referem a uma dita pesquisa tucana onde o "amarelão" teria megalômanos números de intenções de voto a seu favor. Ou seja, só eles podem produzir números, ninguém mais.

Portanto o patrulhamento visa impedir a divulgação de outros números, que venham contestar a "maquiagem" produzida pelos tucanos e com isso dar á sociedade uma falsa idéia de que eles praticamente já ganharam a eleição.

Bem típicos dos tucanos, afinal quem não se lembra do "Pará Encantado" vendido por eles nas propagandas enganosas que fizeram durante uma dêcada neste estado?

Não deixe a mentira voltar !!! Chega das traquinagens tucanas !!

      

Recebi e Divulgo !!

Recebi convite da plenária dos servidores que apoiam a Governadora Ana Júlia e o Puty. O evento será nesta quinta-feira no comitê 1310, logo ali no iniciozinho da Av. Magalhães Barata, bem do lado da Yamadado. Depois todo mundo vai direto para o debate na RBA.

sábado, 21 de agosto de 2010

Na minha opinião Ana Júlia tá decolando !!

Não sou cientista político, mais a minha vida inteira me envolvi com campanhas políticas. A primeira de que tenho lembrança foi em 1988 eu acho, em que o candidato do PT foi o Humberto Cunha, eu era muito jovem, não votava ainda, mas acompanhava minha tia, Neusa Cidade, que era candidata a vereadora. Daí em diante não parei mais de acompanhar as eleições e lá se vão 22 anos nisso, com eleições a cada dois anos.

Pois bem, faço essa pequena ressalva para dizer o seguinte: a campanha eleitoral reflete exatamente a posição do candidato nas pesquisas eleitorais. Ou seja, quando o candidato decola nas pesquisas, a campanha se torna simples, calma, até previsível. O dinheiro brota e os apoios de última hora são cada vez freqüentes. Por outro lado, além do fator local, pesa ainda na análise a relação da campanha local com a campanha nacional.

Isto posto, trago para a análise de vocês algumas considerações que julgo serem interessantes nesse cenário eleitoral do Pará:

1) A estratégia do PMDB de lançar o Juvenil para a disputa do governo pode sim ter sido acordada com o PT, pois, se numa eleição tudo pode acontecer, numa eleição plebiscitária as margens de manobra são muito pequenas, se configurando um risco muito grande a aposta num turno só, particularmente aqui no Pará, se de fato os índices de rejeição da governadora eram altos, não seria prudente arriscar tudo num turno só mesmo;

2) O cenário nacional demonstra que a eleição segue para uma definição no primeiro turno, favorável a candidata do PT Dilma, que se beneficia da popularidade do presidente Lula. Aliais, a popularidade de Lula é tão grande, que tudo leva a crer que terá grande influência na eleição, motivo pelo qual o próprio Serra tenta confundir o eleitor se declarando “Lulista”;

3) Ainda no plano nacional, a imprensa começa a dar sinais de abandonar o barco tucano, o Grupo Folha por exemplo, já fez a opção de “salvar o que resta”, ou seja, se concentrar na eleição de Alckmin em São Paulo, por isso o ataque de fúria contra a campanha de Serra hoje em seu editorial temendo por uma má influência que essa postura “Lulista” possa causar na campanha estadual. Detalhe: se isso vale para São Paulo, vale também para os outros estados;

4) No caso especifico da campanha no Pará, nota-se que alguns prefeitos do PMDB já começam a assumir publicamente o apoio a campanha de reeleição da governadora Ana Júlia, independente da posição do Juvenil, candidato do partido;

5) A propaganda de Jatene já começa a mudar o tom da campanha e esse é sempre o primeiro sinal de quem está no limite;

6) A campanha de Jatene, ao que parece, ainda está muito tímida, bem diferente do entusiasmo natural de uma campanha que esteja em primeiro lugar nas pesquisas, como tenta nos fazer acreditar a mídia tucana, aliais não só a mídia, mas principalmente o exército de neófitos escalados para patrulhar os sites e blog’s mais lidos do estado;

7) De acordo com os jornalistas mais bem informados do estado, é consensual a idéia de que a campanha do Jatene não está arrecadando da forma como gostariam os seus coordenadores e, até agora, nenhum nome de peso, extra coligação, declarou apoio a sua candidatura;

Agora pensem comigo: como pode o candidato Jatene estar acima dos 40% PP nas pesquisas de intenção de voto e a governadora abaixo dos 30%?

Na conjuntura que se desenha acima, a realidade é muito outra, ao que tudo indica a governadora deve estar acelerando a uma velocidade superior a prevista pelos estrategistas de plantão e isso já deve estar fazendo muita diferença !!

É só uma avaliação política, nada mais!!!

É nossa responsabilidade reeleger Ana Júlia, O Pará tem muito a perder II

Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável

Houve um tempo na história do Pará em que tudo se fazia à margem da legalidade e à sombra de um discurso desenvolvimentista falacioso, que colocava em lado opostos homem e meio ambiente.

Os governos anteriores criaram um modelo de desenvolvimento que perpetuava a degradação ambiental e a exploração desordenada das riquezas naturais do estado como símbolo de uma economia pujante e capaz de levar o estado do Pará à superação da pobreza e das suas desigualdades intra-regionais.

Foi acreditando nesse equívoco que os tucanos, liderados por Almir e Jatene, praticaram por mais de uma década uma gestão ambiental irresponsável e temerária, principalmente para um estado da Amazônia. As políticas públicas eram tomadas de acordo tão somente com os interesses de grandes grupos econômicos, independentes se esses interesses pudessem se sobrepor a qualquer outro aspecto de análise de impactos, quer fossem sociais e/ou ambientais.

Na gestão tucana, a importância dada ao meio ambiente podia ser mensurada pela visão equivocada pela qual as políticas de Meio Ambiente e Ciência e Tecnologia podiam estar compartilhada numa única instituição, a extinta SECTAM, o que na prática causava prejuízo as duas pautas.

Mas foi no governo tucano de Simão Jatene que essa “miopia” se aprofundou, na medida em que essas duas importantes pautas, além de condensadas na SECTAM, ainda passaram a ser sub julgadas a uma estrutura de governo centralizadora imposta por Jatene, ficando a SECTAM subordinada a uma outra Secretaria de Estado, dita Especial.

Na prática a gestão ambiental do PSDB pode ser bem entendida a partir de alguns exemplos que mostram, com exatidão, como funcionava o velho modelo de desenvolvimento dos tucanos e porque eles estão ávidos por voltar a comandar o estado.

 Porto da CARGILL

Com o argumento de implantar na região do Baixo Amazonas um pólo de agronegócio baseado na monocultura da soja, os tucanos permitiram que a multinacional Cargill implantasse um grande terminal graneleiro em Santarém, com atividade portuária, sem no entanto responsabilizar a empresa pela elaboração do EIA/RIMA, procedimento padrão para esse tipo de empreendimento e que é capaz de terminar que ações reparadoras e/ou mitigadoras podem ou devem ser tomadas. Mas a falta do estudo não impediu que a SECTAM desse a Licença de Implantação do empreendimento, mesmo tendo MPF questionado essa ação dos tucanos.

 Implantação da Alcoa em Juruti

Outro exemplo da lógica tucana de menosprezo à lei e a sociedade, foi a concessão das licenças ambientais à ALCOA, que explora uma mina de bauxita no município de Juruti. Lá, também os Ministérios Públicos Federal e Estadual fazem críticas ao EIA/RIMA, a começar pelo fato de que, segundo eles, a licença dada pela SECTAM, deveria ter sido emitida pelo Instituto Brasileiro dos Recursos Renováveis e do Meio Ambiente (IBAMA). Ainda de acordo com o MP, há falhas de mensuração na magnitude dos impactos negativos no EIA e portanto arbitrariedade no licenciamento. Em 2005, o Ministério Público Federal, no Pará, ajuizou uma ação civil pública solicitando a paralisação dos trabalhos da Alcoa em Juruti, para revisão do EIA/RIMA, devido ao impacto ambiental omitido e falseado no estudo.

 Parque industrial guseiro de Marabá

A irresponsabilidade tucana quase colocou fim ao parque guseiro instalado em Marabá, isso porque permitiu que diversas empresas fossem ali instalando seus altos fornos que funcionam com o uso de carvão vegetal, sem que elas demonstrassem a origem da madeira usada como insumo, ou melhor, demonstrassem um plano de uso sustentável desses insumos. Como conseqüência do uso dos altos fornos, sem auditoria ambiental por parte do governo tucano, toda região passou a produzir o carvão demandado pelas guseiras. Entretanto, a demanda repentina e crescente pelo carvão vegetal fez criar uma forma de exploração degradante do trabalho, com similaridade a escravidão e uso de mão-de-obra infantil. Esse fato inclusive levou o TRT, em suas fiscalizações, a aplicar multa nas guseiras como co-autoras dos crimes trabalhistas.

Quando a governadora Ana Júlia assumiu o governo do Pará, uma das suas primeiras preocupações foi em corrigir esse fato. Junto com o MP, fez as empresas do parque guseiro assinar um Termo de Ajustamento de Conduta - TAC , evitando com isso que o estado fosse vítima de sanções internacionais à sua produção.

 Pecuária

A atividade pecuária sempre foi um dos vetores do desmatamento na Amazônia e no Pará. Entretanto, nunca nada havia sido feito para dar uma resposta a essa constatação. Na prática, a falta de fiscalização do estado sempre permitiu que a atividade pecuária fosse uma porta para a ilegalidade e foi por conta dessa bagunça, que o MPF, numa atitude inovadora, provocou os frigoríficos e supermercados a boicotarem a compra de animais criados no Pará.

Vale destacar que a postura da governadora Ana Júlia neste ato, não foi de oposição ao MPF, mais de conciliação, permitindo que um TAC fosse assinado, obrigando os pecuaristas a obedecer a legislação ambiental, com o estado assumindo a sua responsabilidade na emissão do cadastramento e licenciamento ambiental rural.

Essa atitude de Ana Júlia, de sair em defesa do Meio Ambiente e não dos pecuaristas infratores da legislação, fez da governadora um alvo perante entidades ligadas aos ruralistas, tendo como expressão máxima dessa perseguição, a palhaçada patrocinada pela Senadora “MotoSerra” Kátia Abreu, que ingressou com ação judicial contra a governadora, porque ela, Ana Júlia, não atendeu aos seus anseios na defesa dos latifundiários do Pará.

Portanto, por esses exemplos, fica evidente que o estado do Pará não pode mais ficar refém de gente que coloca interesses meramente econômicos á frente tudo e todos na hora de tomar uma decisão. Não podemos recuar mais, o Novo Modelo de Desenvolvimento do estado é uma realidade e veio para ficar, por isso temos que reeleger a governadora Ana Júlia, pra avançar, acelerar !!

Folha joga a toalha !!

Mesmo depois de toda manipulação no debate, não tem jeito para o Zé Pedágio.

Folha.com - Poder - Dilma abre 17 pontos sobre Serra e venceria no 1º turno, aponta Datafolha - 21/08/2010

Na primeira pesquisa Datafolha depois do início da propaganda eleitoral no rádio e na TV, a candidata a presidente Dilma Rousseff (PT) dobrou sua vantagem sobre seu principal adversário, José Serra (PSDB), e seria eleita no primeiro turno se a eleição fosse hoje.

Segundo pesquisa Datafolha realizada ontem em todo o país, com 2.727 entrevistas, Dilma tem 47%, contra 30% de Serra. No levantamento anterior, feito entre os dias 9 e 12, a petista estava com 41% contra 33% do tucano.
A diferença de 8 pontos subiu para 17 pontos. Marina Silva (PV) oscilou negativamente um ponto e está com 9%. A margem de erro máxima do levantamento é de dois pontos percentuais.

Os outros candidatos não pontuaram. Os que votam em branco, nulo ou nenhum são 4% e os indecisos, 8%.
Nos votos válidos (em que são distribuídos proporcionalmente os dos indecisos entre os candidatos e desconsiderados brancos e nulos), Dilma vai a 54%. Ou seja, teria acima de 50% e ganharia a disputa em 3 de outubro.
Os que viram o horário eleitoral alguma vez desde que começou, na terça-feira, são 34%. Entre os que assistiram a propaganda, Dilma tem 53% e Serra, 29%.
Nos primeiros programas, Dilma apostou na associação com Lula, que tem 77% de aprovação, segundo o último Datafolha.
A petista cresceu ou oscilou positivamente em todos os segmentos, exceto entre os de maior renda (acima de dez salários mínimos).
Dilma tinha 28% de intenção de voto entre os mais ricos e manteve esse percentual. Mas sua distância para Serra caiu porque o tucano recuou de 44% para 41% nesse grupo, que representa apenas 5% do eleitorado.

MULHERES E SUL

Já entre as mulheres, Dilma lidera pela primeira vez. Na semana anterior, havia empate entre ela e Serra, em 35%. Agora, a petista abriu 12 pontos de frente nesse grupo: 43% contra 31% de Serra.
Marina tinha 11% e está com 10% entre as mulheres. A verde continua estável desde março no Datafolha. Tem mostrado alguma reação só entre os mais ricos, faixa em que tinha 14% há um mês, foi a 17% e agora atingiu 20%.
A liderança de Dilma no eleitorado masculino é maior do que entre o feminino: tem 52% contra 30% de Serra. A candidata do PV tem 8%.
Outro número bom para Dilma é o empate técnico no Sul. Ela chegou a 38% contra 40% de Serra. Há um mês, ele vencia por 45% a 32%.
Serra não lidera de forma isolada em nenhuma região. No Sudeste, perde de 42% a 33%. No Norte/Centro-Oeste, Dilma tem 50%, e ele, 27%.
No Nordeste a petista teve uma alta de 11 pontos e foi a 60% contra 22% do tucano.
Houve também um distanciamento de Dilma na disputa de um eventual segundo turno. Se a eleição fosse hoje, ela teria 53% contra 39% de Serra. Há uma semana, ela tinha 49% e ele, 41%.
Na pesquisa espontânea, em que eleitores declaram voto sem ver lista de candidatos, Dilma foi de 26% para 31%. Serra foi de 16% a 17%.

E O PIG DIZ QUE O PT CENSURA A IMPRENSA ...

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Demonstrando Força !!

Ontem, na quadra do Quem São Eles, o companheiro Edilson Moura realizou uma grande plenária de sua candidatura a deputado estadual. O evento serviu para que Edilson demonstrasse toda sua musculatura eleitoral.

O Puty também esteve por lá para dar um abraço em Edilson Moura.


Os números dos campanheiros vocês já sabem: PUTY 1310 e EDILSON MOURA 13310.

Os números são bem parecidos e sugerem uma dobradinha bastante interessante. Este blogueiro assina em baixo !!

Rio das Pedras: Reunião decide cobrar Villa Del Rey !!

No dia 10 de março, fiz um post no blog denominado Coveiros de sonhos da casa própria! O que fazer, onde denunciava que naquela data os compradores dos apartamentos do Condomínio Rio das Pedras, inclusive eu, deveriam ter recebidos seus imóveis, mas não receberam.

Desde então, a construtora responsável pelo empreendimento sequer se pronunciou sobre o assunto. O único contato que fez com alguns clientes, através de uma carta, dizia que empresa estava passando por dificuldades financeiras e que por conta disso houve atraso nas obras e que a entrega estaria prevista para começar a ocorrer a partir de julho, de forma programada, o que em si também fere o contrato, já que a promessa era de entrega total do condomínio em 10 de março.

O referido post, acima citado, deu início a uma articulação entre clientes do Rio das Pedras que começou através de depoimentos na página mais que ontem acabou culminando com uma primeira reunião, realizada a noite no meu escritório. Na ocasião, além de cerca de 10 compradores, também estiveram presentes dois advogados que, em outra oportunidade, passaram pelo mesmo problema.

Como primeira deliberação desta reunião, ficou acertado que iremos formar uma comissão de compradores para exigir junto aos empreendedores, no caso a Villa Del Rey, uma posição formal da empresa quanto ao tempo real de entrega do condomínio aos seus compradores. Nos próximos três finais de semana iremos lançar edital de convocação nos jornais, que deverá informar sobre a realização de uma reunião para montar a comissão efetivamente, como determina a lei.

Portanto, infelizmente teremos que partir para uma "briga" contra a construtora, são 522 famílias que foram enganadas pela Villa Del Rey e que agora terão que partir para um processo desgastante para terem seus direitos de consumidores respeitado.

Volto a dizer aqui que esse setor da construção civil deve ser regulado. O governo tem de lançar mão de alguma solução para que as pessoas que compram seus imóveis não fiquem assim tão desprotegidas quando a empresa não cumpre seus contratos, e olha que nós já tivemos o exemplo da ENCOL, que deveria ter servido de lição.

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

É nossa responsabilidade reeleger Ana Júlia. O Pará tem muito a perder !!


Energia para crescer

Em 2007, quando a Governadora Ana Júlia assumiu o governo do Pará, o Programa Luz Para Todos, que embora seja um programa Federal, conta com a participação do estado, que financia 10% dos valores do programa, estava com suas etapas atrasadas e suas ações paralisadas por conta da incapacidade do governo de Jatene de fazer frente a contra partida estadual ao programa, gerando grandes prejuízos à população do estado.

Hoje o Pará é o segundo estado brasileiro que mais avançou no Programa Luz Pra Todos, levando energia para todos os cantos do estado, realizando milhares de novas ligações, beneficiando a população rural do estado, com um investimento superior a R$ 70 milhões.

No Marajó, um sonho antigo da população começa a se tornar realidade, com o Linhão, que vai levar energia firme de Tucuruí para o arquipélago. A obra era um sonho distante porque economicamente ela não é viável , ou seja, se fosse depender da iniciativa empreendedora da empresa que explora o serviço, privatizada pelo PSDB de Jatene, jamais ela seria executada.

Mais, movida força e determinação, a governadora recorreu a sensibilidade do presidente Lula, que deixou de lado a visão estritamente econômica, fazendo prevalecer a vertente social da obra, que de forma definitiva inclui o Marajó na rota do desenvolvimento.

Outra ação muito importante da governadora na área de energia, foi de conquistar junto ao governo Federal, o compromisso de que pelo menos 20% da produção da UH de Belo Monte será destinada ao consumo do próprio estado, que será utilizada para que 100% dos domicílios paraenses recebam energia firme e também para garantir que novas plantas industriais possam se instalar no Pará e dessa forma avançar na verticalização da nossa base econômica.

Blog novo no pedaço !!

Alô Galera, o professor Trindade tá comandadndo um novo blog, o Proposta Democrática 13. Muito bom, vale a pena passar por lá, eu recomendo.
Reproduzo aqui um post só para voces sentirem a qualidade.






13 MOTIVOS PARA REELEGER ANA JÚLIA

terça-feira, 17 de agosto de 2010

A construção de qualquer projeto de maior fôlego e voltado aos interesses populares passa necessariamente pela resistência daqueles que sempre mantiveram alguma benesse ou se utilizaram do Estado para defender seus interesses privados. Apresentamos abaixo 13 Motivos para mantermos o projeto Democrático e Popular e continuarmos avançando na construção de um Pará democrático e sem pobreza:

1) DIMINUIÇÃO DA POBREZA: Os marcantes avanços sociais estão presentes na redução de paraenses pobres, somente nos anos de 2007 e 2008, segundo dados da PNAD (Pesquisa Nacional por Amostragem Familiar), 251 mil paraenses saíram da linha de pobreza.

2) PARTICIPAÇÃO POPULAR: O Governo Ana Júlia possibilitou, pela primeira vez na história republicana paraense, a efetiva participação popular nas decisões de planejamento e uso dos recursos públicos. O Planejamento Territorial Participativo (PTP) democratizou o Planejamento Plurianual (PPA), inserindo as demandas populares e possibilitando o controle social sobre as obras executadas. Realizamos Assembléias Populares nos 143 Municípios com demandas públicas votadas pela população.

3) SAÚDE PÚBLICA: Colocamos para funcionar os Hospitais Regionais; expandimos a Saúde da Família para aproximadamente 40% de cobertura populacional, melhorando os indicadores de saúde para cerca de 3 (três) milhões de pessoas (o governo anterior atingia somente 30%), implantamos: o Incentivo Fundo a Fundo para atenção primária (básica); ampliamos a Rede de Prontos Socorros; o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU – 192); a Atenção à Saúde Bucal com Qualidade; a Assistência Farmacêutica e Farmácia Popular; expandimos as Unidades de Pronto Atendimento (UPA 24 horas) e muitos mais.

4) EMPREGOS: Em 2010 o Pará nunca gerou tantos empregos quanto agora. Em 2010 teremos 30.000 novos empregos de saldo. Ana Júlia colocou o Estado para funcionar, garantindo o PAC do Pará, a Minha Casa, Minha Vida, a Ação Metrópole e muitas outras obras que garantem emprego e renda para milhares de paraenses.

5) BOLSA TRABALHO: Mais de 72 mil jovens, na faixa etária de 18 a 29 anos, foram beneficiados com bolsa que possibilita qualificação e estimulo ao ingresso no mercado de trabalho, possibilitando que 22.420 fossem inseridos no mundo do trabalho, sendo 20.400 com carteira assinada; 1.200 com liberação de microcrédito no Banpará e 820 trabalhadores autônomos.

6) EDUCAÇÃO: O Governo Ana Júlia reconstruiu a Educação no Pará, refazendo a rede mediante reformas e construção de novas unidades, dignificando a carreira do magistério e o quadro funcional da SEDUC, realizando concursos públicos (seis ao todo) que buscaram estabilizar o quadro funcional desta secretaria. Foram reformadas 672 escolas e construídas outras 35. A política de estruturação do ensino profissionalizante foi reforçadas com a instalação de 32 cursos técnicos em 14 escolas profissionalizantes, configurando a Rede Estadual de Escolas Tecnológicas. Deve-se ressaltar o salto de qualidade na educação infantil e fundamental, a viabilização da educação indígena e o aperfeiçoamento da educação especial. Considere-se ainda a reestruturação da UEPA, melhorando os serviços educacionais prestados e qualificando os cursos ofertados, chegando hoje a cinqüenta municípios através de 21 cursos de graduação presencial e à distância. Foi sancionado o Plano de Cargos e Carreira do Magistério.

7) NOVA POLÍTICA TRIBUTÁRIA: Implantação do programa IPVA CIDADÃO, reduzindo a alíquota do IPVA para motoristas que não possuem multas, estimulando a cidadania no trânsito e a redução de acidentes de trânsitos e os custos na área da saúde. Isenção e redução do ICMS da energia elétrica, beneficiando 920 mil famílias na área urbana e rural, com renda de até dois salários mínimos em todas as regiões do Estado. Promoção da redução do ICMS nos produtos da cesta básica, beneficiando a população de menor renda com diminuição dos preços.

8) SEGURANÇA: Investimos 67% a mais que o governo anterior, com isso aumentou o efetivo da PM em mais 2.300 policiais, elevação de 25% do efetivo; aumentamos o efetivo da Policia Civil, contratando mediante concurso novos delegados, investigadores, escrivães, possibilitando que até o final do mandato tenhamos 492 novos servidores. Investimos em equipamentos e condições para garantir uma segurança pública cidadã e atuante. Fortalecemos a Defensoria Pública com a contratação de 145 novos defensores e criamos a Secretaria de Justiça e Direitos Humanos.

9) INCLUSÃO DIGITAL: Implantamos o NAVEGA PARÁ, maior programa de inclusão digital do Brasil, para isso criamos 16 cidades digitais com interligação de órgão públicos de saúde, segurança, educação e da administração estadual (mais de mil pontos de acesso), implantamos 424 Laboratórios de informática com acesso abanda larga em escolas da rede estadual e 124 Infocentros implantados (270 até o final de 2010).

10) CIENCIA E TECNOLOGIA: Implantamos o Parque de Ciência e Tecnologia do Guamá, com oito laboratórios já implantados, possibilitando a agregação de valor ao que é produzido no Pará. Destaca-se: o CEAMAZON, laboratório destinado a eficiência energética; o INPE, destinado a pesquisa e monitoramento das queimadas; Laboratório de Qualidade do Leite e o de Fitossanidade e Manejo, fundamentais para a economia estadual.

11) AGRICULTURA E DESENVOLVIMENTO RURAL: Realizamos regularização fundiária em 10 municípios, foi realizada regularização de Terras Públicas Federais, através do Programa Terra Legal, em 86 municípios com 89 mil posses que estão sendo regularizadas. Criamos o Cadastro Ambiental Rural – CAR, instrumento de ordenamento ambiental que permite a regularização das propriedades rurais, com mais 30 mil propriedades rurais já cadastradas no Estado. Distribuímos 503 máquinas, veículos e equipamentos para construção, manutenção e reforma de estradas vicinais e ramais em 143 municípios do Estado. Investimos na agricultura familiar, beneficiando mais de 60 mil famílias de pequenos produtores nas 12 Regiões de Integração do Estado, apoiando o preparo de áreas e plantio de culturas alimentares e sistemas agroflorestais.

12) AÇÃO METRÓPOLE: Beneficio para mais de dois milhões de usuários do transporte público na RMB, com a eliminação dos gargalos de entrada e saída na capital aumentando a mobilidade das pessoas. Inauguração do Elevado “Daniel Berg” na Av. Julio Cezar, revitalização da Arthur Bernardes e prolongamento da Avenida Independência.

13) DESENVOLVIMENTO: Verticalização da produção mineral, com a implantação de um grande pólo siderúrgico em Marabá, com a implantação da ALPA (Aços Laminados do Pará), gerando até 2013, 25 mil empregos diretos e indiretos e propiciando a economia paraense um novo patamar de crescimento. Reorganização e obras de infraestrutura dos Distritos Industriais de Ananindeua; Icoaraci; Barcarena e Marabá.

Autor: Proposta Democrática.

Programa Eleitoral de Ana Júlia 13 - nº 01

Quem perdeu o primeiro programa de Ana pode assitir agora. Foi muito bom !!

Dilma como nunca, a Folha como sempre !!

O debate de hoje na folha.com serviu para mostrar o seguinte: Dilma está muito preparada para enfrentar essa campanha.
Mesmo com a manipulação da Folha na seleção das perguntas dos "internautas" endereçadas a Dilma, que  deveriam ser travosas, mas foram brilhantemente respondidas por Dilma, que alias deu um banho no Zé Pedágio, que teve até "pergunta" com cara de "Direito de Resposta" a seu favor.
Ou seja, a Folha quiz dar uma "forcinha" pro seu candidato, mas, na verdade, acabou beneficiando Dilma, que não se esquivou da maldade e respondeu com segurança todoas as perguntas, de onde quer que elas viessem.
Dilma foi pra cima do Zé Pedágio e o encurralou. Acho que esse debate mostrou para os tucanos que se eles dependerem disso para reverter a eminente derrota, já era !!

terça-feira, 17 de agosto de 2010

Do blog amigos do presidente Lula

terça-feira, 17 de agosto de 2010


Programa de Serra na TV contém pelo menos 6 mentiras

O marqueteiro de José Serra (PSDB/SP) até que fez um programa de TV bem produzido para Serra, na inauguração do horário eleitoral. O que estragou foi a presença do próprio Serra no programa, e as mentiras veiculadas, e já amplamente desmentidas na internet:

Mentira nº 1
Serra disse que "estudou em escola pública, sempre". Não é verdade. Ele estudou em uma caríssima universidade privada nos Estados Unidos, na época da ditadura. Não se sabe quem pagou a conta.

Mentira nº 2
Serra disse ser o criador do FAT (Fundo de Amparo ao Trabalhador). A mentira já foi desmascarada nos próprios anais da câmara, da emenda de criação do Fundo.
O projeto que criou o FAT é de autoria do ex-deputado Jorge Uequed, e teve contribuições de Paulo Paim (PT/RS), e Serra também apresentou emendas, mas chegou atrasado.

Mentira nº 3
Serra disse que foi "o melhor ministro da saúde" da história do Brasil.
Será que o demo-tucano (que nem médico é) nunca ouviu falar do ministro da saúde Oswaldo Cruz?
Além disso, melhor ministro da saúde do que ele há pelo menos outros 4 nomes recentes, que apenas fizeram menos propaganda: o Dr. Adib Jatene, o atual ministro Temporão, Humberto Costa e Jamil Haddad.

Mentira nº 4
No programa diz que Serra criou o programa da AIDS. Também não é verdade. Ele encontrou o programa pronto, desenvolvido por Lair Guerra e Adib Jatene.
Serra também não criou o programa de genéricos, que foi criado por Jamil Haddad.

Mentira nº 5 (Charlatanismo)
O programa apresenta Serra como "economista", porém o demo-tucano não pode ostentar este título, porque não é bacharel em ciências econômicas. Tanto é assim, que ele não tem registro profissional nos Conselhos de Economia.
Apresentar-se como "economista" sem ter o diploma de bacharel em ciências econômicas pode ser enquadrado como charlatanismo.

Mentira nº 6
O demo-tucano apresentou-se como se fosse um candidato da situação e não de oposição, como é de fato, ao presidente Lula.

Deu no blog do Hiroshi

Terça-feira, Agosto 17, 2010

Marabaense retribui

A pesquisa para o governo estadual realizada pelo Cláudio Lago em todo o Estado, um dos mais competentes donos de instituto de pesquisa eleitoral do Pará, apresenta dado que já se esperava: Marabá garante o melhor desempenho de Ana Júlia em todo o território paraense.

No município, está asssim: Ana 51 % X Jatene 33%.

BLOG DA DILMA 13 PRESIDENTE: PESQUISA VOX POPULI: DILMA 45% SERRA 29%

Vox Populi: Dilma tem 45%, Serra tem 29% e Marina, 8%

Se a eleição fosse hoje, candidata do PT venceria no primeiro turno, aponta levantamento divulgado nesta terça-feira.

A candidata petista à Presidência da República, Dilma Rousseff, venceria no primeiro turno se a eleição fosse hoje, de acordo com a pesquisa Vox Populi/Band/iG divulgada nesta terça-feira. Dilma teria 45% das intenções de voto, contra 29% do presidenciável tucano, José Serra, e 8% da candidata do PV, Marina Silva. Para levar a disputa primeiro turno, a quantidade de votos válidos contabilizados por um determinado candidato deve ser superior à soma dos votos obtidos pelos demais concorrentes.

Os demais candidatos não atingiram 1% das intenções de voto, 5% declararam voto branco ou nulo e outros 12% se disseram indecisos. A pesquisa estimulada, que mostra os nomes dos candidatos para os entrevistados, foi feita entre os dias 7 e 10 de agosto, após o primeiro debate entre presidenciáveis, realizado pela Band no dia 5 de agosto.

O melhor desempenho de Dilma é na região Nordeste e o pior é na região Sudeste. Em Pernambuco, ela teria 66% dos votos, contra 19% de Serra. Já o tucano tem seu melhor desempenho na região Sul e o pior, no Nordeste. Em São Paulo, Estado que governou até abril, Serra teria 40% dos votos, contra 33% da petista.

O instituto entrevistou 3 mil pessoas em 219 municípios de todos os Estados, incluindo o Distrito Federal e excluindo Roraima. A pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número 22.956/10. A margem de erro é de 1,8 ponto percentual para mais ou para menos.

Dilma também aparece na frente na pesquisa espontânea, com 32% das intenções de voto, ainda segundo a Vox Populi/Band/iG. José Serra aparece em segundo, com 18%, e Marina Silva em terceiro, com 5% das intenções de voto. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que não é candidato, foi citado por 3% dos entrevistados. Outros 6% disseram votar nulo ou branco e 34% não sabem em quem votariam.

Na última pesquisa Vox Populi, publicada em 22 de julho, a candidata petista tinha 41%, contra 33% de Serra e 8% de Marina. Outros 4% declararam votar em branco ou anular e 13% estavam indecisos.

Dilma no horário eleitoral de televisão (17 de agosto-tarde)

Quem vocês acham que será melhor para o Pará ?!?!

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

Imaginem o que vem pela frente !!

O passado e o presente da imprensa brasileira
Marco Aurélio Weissheimer do Carta Maior

As empresas de comunicação têm o hábito de se apresentarem como porta-vozes do interesse público. Em que medida uma empresa privada, cujo objetivo central é o lucro, pode ser porta-voz do interesse público? Essas empresas participam ativamente da vida política, econômica e cultural do país, assumindo posições, fazendo escolhas, pretendendo dizer à população como ela deve ver o mundo. No caso do Brasil, a história recente de muitas dessas empresas é marcada pelo apoio a violações constitucionais, à deposição de governantes eleitos pelo voto e pela cumplicidade com crimes cometidos pela ditadura militar (cumplicidade ativa muitas vezes, como no caso do uso de veículos da ão Paulo durante a Operação Bandeirantes). Até hoje nenhuma dessas empresas julgou necessário justificar seu posicionamento durante a ditadura. Muitas delas sequer usam hoje a expressão “ditadura militar” ao se referir aquele triste período da história brasileira, preferindo falar em “regime de exceção”. Agem como se suas escolhas (de apoiar a ditadura) e os benefícios obtidos com elas fossem também expressões do “interesse público”.

Apoiar o golpe militar que derrubou o governo Jango foi uma expressão do interesse público? Ser cúmplice de uma ditadura que pisoteou a Constituição brasileira, torturou e matou é credencial para se apresentar como defensor da liberdade? O silêncio dessas empresas diante dessas perguntas já é uma resposta. O que é importante destacar é que a semente do autoritarismo, da perversidade e da violência prossegue ativa, conforme se viu neste final de semana (e se vê praticamente todos os dias).

A revista Época fez o que se espera da Globo, maior empresa midiática do país e um dos pilares de sustentação da ditadura militar: resgatou a agenda da Guerra Fria e destacou na capa o “passado de Dilma”. O ovo da serpente permanece presente na sociedade brasileira. O que deveria ser tema de orgulho para uma sociedade democrática é apresentado por uma das principais revistas do país como motivo de suspeita. Os editores de Época honram assim o passado autoritário e anti-democrático de sua empresa e nos mostram que ele está vivo e atuante.

Indenizações às vítimas da ditadura

De maneira similar, aqui no Rio Grande do Sul, o jornal Zero Hora publicou um editorial apoiando a decisão do TCU de questionar às indenizações que estão sendo pagas às vítimas de perseguição e maus tratos durante a ditadura, ou “regime de exceção”, como prefere a publicação. Trata-se, segundo a RBS, de defender um “princípio da razoabilidade”. “Ninguém tem direito a indenizações perdulárias ou a aposentadorias e pensões que extrapolam critérios de prudência, ponderação e equilíbrio”, diz o texto. Prudência, ponderação, equilíbrio e razoabilidade: foram esses os valores que levaram o jornal e sua empresa a cerrarem fileiras ao lado dos militares que rasgaram a Constituição brasileira? Quanto dinheiro os proprietários da RBS ganharam com esse apoio? Não seria razoável e ponderado defender que indenizassem a sociedade brasileira pelo desserviço que prestaram à democracia?

É cansativo, mas necessário relembrar. Sempre. Como a maioria da grande mídia brasileira, a empresa gaúcha apoiou o golpe que derrubou João Goulart. O jornal Zero Hora ocupou o lugar da Última Hora, fechado pelos militares por apoiar Jango. Esse foi o batismo de nascimento de ZH: a violência contra o Estado Democrático de Direito. Três dias depois da publicação do Ato Institucional n° 5 (13 de dezembro de 1968), ZH publicou matéria sobre o assunto afirmando que “o governo federal vem recebendo a solidariedade e o apoio dos diversos setores da vida nacional”. No dia 1° de setembro de 1969, o jornal publica um editorial intitulado “A preservação dos ideais”, exaltando a “autoridade e a irreversibilidade da Revolução”. A última frase editorial fala por si:

“Os interesses nacionais devem ser preservados a qualquer preço e acima de tudo”.

Interesses nacionais?

A expansão da empresa se consolidou em 1970, com a criação da RBS. A partir das boas relações estabelecidas com os governos da ditadura militar e da ação articulada com a Rede Globo, a RBS foi conseguindo novas concessões e diversificando seus negócios.

Como a revista Época, Zero Hora é fiel ao seu passado e exercita um de seus esportes favoritos: pisotear a memória do país e ofender a inteligência alheia. O editorial tenta ser ardiloso e defende, no início, as indenizações como decisão correta e justa. Mas logo os senões começam a desfilar: os exageros nas indenizações de Ziraldo, Lula, Jaguar e Carlos Lamarca, “outro caso aberrante segundo o procurador”. A pressão exercida por setores militares junto ao governo e ao Judiciário é convenientemente omitida pelo editorial que fala do “risco” de as indenizações se transformarem em algo como “uma bolsa-anistia”.

O presidente da Comissão de Anistia do Ministério da Justiça, Paulo Abrão Pires Junior, divulgou uma esclarecedora nota a respeito da decisão do TCU e das pressões que vem sendo exercidas contra o processo das indenizações. A capa da revista Época e o editorial de Zero Hora mostram que as empresas responsáveis por essas publicações permanecem impregnadas do autoritarismo que alimentou seu nascimento e expansão. É triste ver jornalistas emprestando sua pena para inimigos da democracia e da liberdade. Pois é exatamente disso que se trata. Esse é o conteúdo que habita a caixa preta de boa parte da imprensa brasileira.

1º TURNO !!

G1 - Ibope mostra Dilma com 43% e Serra com 32% na disputa pela Presidência - notícias em Eleições 2010

Pesquisa IBOPE revela a verdade: Dilma vai ganhar no primeiro turno e Lula é o presidente brasileiro mais querido da história. Só 4% de "lunáticos e reacionários" reprovam Lula.

O povo sabe que o país tá mudando e que nós não podemos perder esse bonde. Quem ganha é o Brasil !!

Quem fez o Hangar? Jogo empatado!!

O blog Espaço Aberto faz hoje uma provocação à governadora, dizendo que o Hangar foi obra de Jatene e que Ana assumiu para si, segundo o blog.

Convém lembrar que o Hangar, que Jatene gastou R$ 100 milhões, foi inaugurado sem condições de uso, ou seja uma "casca".

Por isso, não fosse a responsabilidade da governadora em concluí-lo, investindo mais R$ 18 milhões, não existiria o Hangar, o que traria um grande prejuízo para estado.


Portanto, no mínimo, é uma obra com méritos compartilhados e que bom que foi assim. Da mesma forma como a maioria dos hospitais regionais, que Jatene fez os prédios, mas a governadora Ana Júlia foi quem concluiu e colocou para funcionar.
 
E tem que ser assim mesmo, o Estado não é de quem o ocupa temporariamente, por isso aquela velha política de não se concluir obras do governo anterior não faz mais nenhum sentido e a população, com certeza, vai saber compreender bem essa situação.

domingo, 15 de agosto de 2010

Comunicação de verdade !!

Lula tem feito toda a diferença na eleição da Dilma, mas ainda não entrou na campanha da governadora e é bom lembrar que Dilma pode até ter dois palanques aqui no Pará, mas o Lula, filiado ao PT, só tem um, o de Ana Júlia, ou seja, Dilma pode até aparecer no programa do Juvenil, mas o Lula, se quiser, só precisa aparecer na propaganda da governadora;


Levantar a tese de que, no campo econômico, o governo de Ana Júlia foi ruim para o Pará é não só leviano, mas beira a loucura. A verdade é que a campanha deve mostrar para a população que alguns investimentos só aconteceram porque Ana tinha apoio de Lula, como o caso da ALPA, das eclusas de Tucuruí, ampliação do porto de Vila do Conde, hidrovia Araguaia/Tocantins, porto de Marabá, duplicação da Transamazônicas, construção de Belo Monte, pólo de biodiesel em Tomé-Açu, zona de livre processamento de exportações em Barcarena, entre outros.

Além dos investimentos do governo federal, também há outros investimentos e ações do governo estadual como os distritos industriais de Icoaraci, Ananindeua, Marabá e Santarém, os incentivos fiscais com atração de diversas grandes empresas, como a Aços Cearense e a peletização de minério em Marabá; a fábrica de aglomerados de madeira em Paragominas, possibilitando de fato a implantação do pólo moveleiro, a fábrica de chocolate no Xingú; de cimento em Uruará; de vagões em Castanhal; entre outras.

Portanto, o Pará vai perceber que o Brasil vai dar continuidade ao governo de Lula, elegendo a companheira Dilma para Presidente e que, aqui no Pará, a vitória de Ana Júlia será muito importante para que o estado não pare de avançar e continue acelerando.

O marketing e a mentira tucana!!


Até o momento, o candidato tucano tem sido poupado pela grande imprensa local, já que o Liberal parece ter assumido uma postura neutra, enquanto o Diário ataca descaradamente a governadora, ajudando (in)diretamente o tucano, uma vez que o seu candidato, Juvenil, não parece ter chance nenhuma.

Com isso, Jatene vai se firmando como opção à Ana, na medida em que assume uma postura crítica, sem que ninguém vá desconstruindo essa falsa imagem. Como conseqüência disso o tucano passa a polarizar a campanha, tentando atrair em trono de si, os descontentes com o governo do PT.

Esse fato tem rendido ao Jatene uma posição incomum, onde a sua campanha não condiz com a posição das pesquisas, pois embora aparecendo bem no início da campanha, a tendência vai ser uma queda na reta final, tal qual aconteceu com a Valéria quando disputou a prefeitura de Belém, que saiu em primeiro mais chegou em quarto lugar.

Se prestarmos bem atenção, a estratégia do Jatene é muito mentirosa e isso vai vir à tona agora, no início da campanha na TV, se não vejamos:

1) No seu slogan de campanha a frase é: Jatene com o povo, pro Pará crescer de novo. Ou seja, a primeira mentira é que Jatene nunca foi popular, foi governador por força da burocracia e não de carisma, logo o tucano não tem o apoio do povo;

2) Ainda sobre o slogan, a campanha tucana trás para o debate eleitoral um tema que certamente será um tiro no pé, pois, na área econômica, o governo de Ana Júlia deu um grande salto, com feitos extraordinários, que os tucanos não foram capazes de fazer, pois com a parceria com o presidente Lula, a governadora Ana Júlia conseguiu transformar o Pará, com grandes investimentos em infraestrutura econômica e social.

Quando o PSDB governou o Brasil e o Pará juntos, os tucanos daqui não conseguiram, mesmo apoiando a privatização da Vale, romper o cerco dos paulistas e mineiros e trazer a verticalização mineral para o estado. Agora vem com esssa conversa de que, com eles o estado vai "voltar" a crescer.

Falando sinceramente, alguém acha que se o governo do Pará tivesse sido ganho pelo Almir Gabriel em 2006, o estado teria conquistado a ALPA? claro que não. Todos sabemos que a Vale não queria fazer e que foi a insistencia de Ana Júlia e do Lula que viabilizou a ALPA.

O Pará agora tem um rumo e a escolha de Dilma presidente deve induzir os paraenses a votar em Ana governadora. Só assim a parceria vai continuar e o Pará vai continuar acelerando.

Futebol e Preconceito !!

Mesmo com a conquista do título de campeão brasileiro no ano passado dirigindo o Mengão, o técnico Andrade parece que não existe, desde que foi dispensado pelo Flamnego, não é sequer sondado para dirigir nenhum outro time. Porque isso acontece?

Técnicos como o Leão, por exemplo, que também só ganhou uma vez o nacional, com o Santos em 2002, ainda hoje é respeitado como campeão brasileiro e não lhe falta trabalho. Com o Geninho, também uma vez campeão com Atlético Paranaense, em 2001, a mesma coisa.

Infelizmente, o preconceito racial no Brasil existe da pior maneira possível: invisível !!

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Maria da Conceição Tavares - Veja quem já está com Dilma

Folha.com - Poder - Com 41%, Dilma passa Serra e fica a 3 pontos de vencer no 1º turno, diz Datafolha - 13/08/2010

Folha.com - Poder - Com 41%, Dilma passa Serra e fica a 3 pontos de vencer no 1º turno, diz Datafolha - 13/08/2010

Folha.com - Mercado - Lucro da Petrobras sobe 11% e atinge R$ 16 bi no semestre - 13/08/2010

Folha.com - Mercado - Lucro da Petrobras sobe 11% e atinge R$ 16 bi no semestre - 13/08/2010

Carta Maior - Paulo Kliass - BNDES, política industrial e outras heresias desenvolvimentistas

Carta Maior - Paulo Kliass - BNDES, política industrial e outras heresias desenvolvimentistas

Começa a ganhar as páginas dos jornais a briga acirrada entre o presidente do BNDES, Luciano Coutinho, e o presidente do Banco Central, Henrique Meirelles. A face pública da disputa refere-se a quem deve ser apontado como “verdadeiro responsável” pelos efeitos da política de empréstimos praticada pelo BNDES.

Paulo Kliass


Ao longo das últimas semanas, vocês devem ter notado que o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social - BNDES começou a aparecer com maior freqüência nas páginas dos grandes meios de comunicação, aqui no Brasil e na imprensa estrangeira. Ao que tudo indica, a razão mais forte para tal deslocamento das páginas escondidas dos cadernos de economia em direção aos holofotes da pauta mais ampla da política está localizada no avanço do debate eleitoral e nos arranjos visando à configuração de forças no próximo governo, que deve tomar posse em 1º de janeiro próximo. Em poucas palavras: jogo pesado de disputa de espaço e defesa de interesses.

Trata-se de uma importante instituição de crédito, com um enorme patrimônio e uma volumosa carteira de empréstimos. Em 2009, por exemplo, o Banco já havia ultrapassado o próprio Banco Mundial em suas alocações financeiras para o setor produtivo e de serviços. No final do ano passado, o valor do ativo total do BNDES passava a barreira dos R$ 386 bilhões. Ou seja, estamos falando da quarta maior instituição de crédito do País, superada apenas pelo Banco do Brasil, Itaú e Bradesco.

Leia a íntegra do texto no link acima.